Notícias

Mãe chama filha de mentirosa, mas exame confirma: padrasto estuprou a criança

A menina contou à polícia que foi estuprada pelo padrasto dos 8 aos 13 anos; a mãe chegou a tentar mudar o depoimento da filha

Caroline
Caroline Berticelli / Editora
Mãe chama filha de mentirosa, mas exame confirma: padrasto estuprou a criança
Se condenado, o homem pode ficar até 15 anos na cadeia. (Foto: Ilustrativa/Pixabay)

17 de setembro de 2019 - 00:00 - Atualizado em 1 de julho de 2020 - 15:51

Um padrasto foi preso por suspeita de estuprar sua enteada por cinco anos em Apucarana, no norte do Paraná, nesta segunda-feira (16). Os abusos teriam ocorrido entre os 8 e 13 anos da vítima.

O caso foi descoberto depois que a adolescente confidenciou a uma amiga que era abusada sexualmente pelo padrasto. A jovem, então, conversou com um professor que acionou o Conselho Tutelar. A delegada Sandra Nepomuceno, da Delegacia da Mulher, explica que a garota apresenta uma série de problemas psicológicos e não teve coragem de denunciar o padrasto anteriormente. 

Padrasto estuprava enteada quando esposa não estava em casa

Segundo o depoimento da vítima, o homem aproveitava que a esposa trabalha o dia todo fora de casa e cometia os abusos durante esse tempo. 

Mãe tenta fazer filha mudar o depoimento 

Ainda conforme a delegada, depois que a polícia tomou conhecimento do caso, a mãe da menina foi informada que o marido era investigado por suspeita de estuprar a enteada. A mulher, então, colocou em dúvida o testemunho da própria filha insinuando que ela mentia, tentou fazer com que ela mudasse o seu depoimento para inocentar o homem e ainda declarou que a jovem estava possuída. 

Como parte da investigação, a menina passou por um exame de corpo delito que comprovou a conjunção carnal. 

O padrasto está preso preventivamente e se for indiciado poderá ser condenado a até 15 anos de prisão por estupro de vulnerável.   

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.