Notícias

Paciente com suspeita de coronavírus que agrediu médico é autuado pela Polícia Civil

Suspeito irá responder por lesão corporal dolosa e por ter infringido determinação do Poder Público

Guilherme
Guilherme Becker / Editor com informações da Polícia Civil
Paciente com suspeita de coronavírus que agrediu médico é autuado pela Polícia Civil
(FOTO: REPRODUÇÃO/ GOOGLE STREET VIEW)

9 de abril de 2020 - 00:00 - Atualizado em 1 de julho de 2020 - 14:48

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) autuou o paciente que teria agredido um médico da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Sítio Cercado, em Curitiba, nesta quarta-feira (8). Após receber a notificação, os policiais foram até o Hospital Evangélico, onde o homem com suspeita de coronavírus tinha sido encaminhado, e interrogaram o suspeito. 

Para os policiais, o homem de 40 anos, revelou que resistiu ao isolamento e ao pedido da equipe da unidade de saúde pois não poderia ficar internado, já tinha uma mudança agendada para o próximo sábado (11). Diante das ocorrências, o suspeito irá responder por lesão corporal dolosa e por ter infringido determinação do Poder Público, destinada a impedir a propagação de doença contagiosa.  

Homem é autuado após agredir médico

agressão ocorreu quando o médico tentava conversar com o paciente de 40 anos que se negava a ser transferido para um hospital. Segundo o profissional, o homem estava internado na ala de emergência da UPA, destinada para pessoas com suspeita de Covid-19, e apresentava um quadro respiratório, com baixa oxigenação no sangue e falta de ar, entre outros sintomas.

“Ele arrancou o acesso venoso, arrancou a máscara, e veio em direção a saída. Eu tentei segurá-lo, mas ele já partiu para cima de mim. Eu informei que ele precisava se acalmar, que ele precisava ficar na UPA porque isso teria implicações legais pra ele. Ele afirmou ‘quero ver quem vai me segurar’ e partiu para cima de mim”, explica Kazuo.

medico-agredido-em-upa-paciente-curitiba
O ROSTO DO MÉDICO FICOU COBERTO DE SANGUE APÓS A AGRESSÃO DO PACIENTE. (FOTO: REPRODUÇÃO/FACEBOOK SIMEPAR)

O homem desferiu um soco no rosto de Kazuo, deixando a face do médico coberta de sanguetanto dele como do paciente. Durante a confusão, os guardas municipais que fazem a segurança na unidade de saúde e um equipe do Samu que estava no local correram para ajudar e conseguiram imobilizar o agressor. No entanto, fora de controle, ele ainda tentou cuspir em todos que estavam no local.

A PCPR elaborou um Termo Circunstanciado e o paciente responderá pelos crimes em liberdade. Se condenado, a pena por ter infringido determinação do Poder Público é de um mês a um ano, além de multa. Já a de lesão corporal é de dois meses a um ano.