Notícias

Órgãos emitem errata sobre caso do bicho barbeiro em Marechal C. Rondon

Embora informação inicial citava contaminação, na verdade o bicho barbeiro não estava contaminado com a doença de Chagas

Aline
Aline Cristina / Repórter
Órgãos emitem errata sobre caso do bicho barbeiro em Marechal C. Rondon

10 de novembro de 2021 - 10:39 - Atualizado em 10 de novembro de 2021 - 12:24

Ao contrário do que foi divulgado na segunda-feira (09), o bicho barbeiro encontrado pelas equipes da secretaria de Saúde de Marechal Cândido Rondon, no Oeste do Estado, em uma propriedade rural do município, não estava contaminado com a Doença de Chagas.

A 20ª Regional de Saúde de Toledo publicou uma errata informando sobre o equívoco da informação. Na terça-feira (09), os órgãos responsáveis divulgaram que o bicho barbeiro estava contaminado, mas depois voltaram atrás.

Confira a nota na íntegra:

Por um equívoco no repasse da informação por parte de integrantes da 20ª Regional de Saúde de Toledo e da equipe de endemias da Secretaria de Saúde de Marechal Cândido Rondon, foi divulgado na terça-feira (09) que o bicho barbeiro encontrado em uma propriedade situada na Linha São Cristóvão, em Margarida, estava contaminado com o protozoário Trypanosoma Cruzi, agente etiológico da Doença de Chagas. Ocorre que na verdade o bicho barbeiro não estava contaminado.

O inseto encontrado é da espécie Panstrongylus Megistus. O mesmo gera interesse dos órgãos de saúde pública por atuar como vetor domiciliar na transmissão do protozoário Trypanosoma Cruzi, que causa a Doença de Chagas. Portanto, segundo a Regional de Saúde, houve a identificação de uma espécie de interesse em saúde pública.

Pelo fato de se tratar de uma espécie com potencial de transmissão da Doença de Chagas, foram necessárias as ações de controle em conjunto pelos agentes do setor de endemias da Secretaria de Saúde de Marechal Rondon e de agentes da 20ª Regional de Saúde. O trabalho iniciado na segunda-feira (08) prossegue durante esta semana na propriedade rural.

Nota 20ª Regional de Saúde/Secretaria de Saúde de Marechal Cândido Rondon

Doença de Chagas

A Doença de Chagas é transmitida a partir do protozoário para o ser humano. A infecção acontece quando o bicho barbeiro “pica” alguém e, quando a pessoa coça o local, acaba passando as fezes do inseto, contaminadas, para a ferida.

No Brasil, vários casos de transmissão também são registrados por via oral. Nesses casos, as pessoas consumiram caldo de cana ou açaí infectados pelos bichos.

Os sintomas podem não aparecer ou, ainda, podem ser leves. Mas, normalmente, os contaminados costumam ter dores no abdômen ou nos músculos, febre, palpitações ou arritmia cardíaca, além de dor de cabeça. Se não for tratada, a doença pode ser fatal.

Registrou um flagrante? Mande para o WhatsApp do RIC Mais clicando aqui e faça o portal com a gente!