Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

15 de maio de 2020 - 00:00

Atualizado em 15 de maio de 2020 - 00:00

Notícias

Órgão da Colômbia investigará aplicativos de entregas por atrasos em pedidos

Órgão da Colômbia investigará aplicativos de entregas por atrasos em pedidos
(Blank Headline Received)

BOGOTÁ (Reuters) – O órgão regulador do comércio da Colômbia irá investigar queixas de que os aplicativos rappi, Uber Eats, iFood e Domicilios.com não conseguiram realizar entregas dentro do prazo ou simplesmente não as realizaram no Dia das Mães, além de que são lentos em fazer restituições, disse nesta sexta-feira.

Os colombianos estão presos em casa sob um bloqueio nacional causado pelo coronavírus desde o final de março, deixando-os mais dependentes de aplicativos para entrega de alimentos e presentes para a celebração do último domingo.

A Superintendência de Indústria e Comércio pediu dados às empresas de aplicativos sobre quantos pedidos haviam previsto, como se prepararam, e como eles estimam prazos de entrega, disse o órgão em comunicado publicado em seu site.

O regulador também solicitou detalhes sobre como eles modificam os prazos de entrega prometidos e seus procedimentos de reembolso.

“Se for encontrada alguma conduta que viole os direitos do consumidor, como informações enganosas ou insuficientes, falta de qualidade ou adequação de bens e serviços, ignorar direitos de reestituição de pagamento ou outra infração dos termos do Estatudo do Consumidor, ela poderá levar multas de até 2.000 salários mínimos mensais”, afirma o comunicado.

Essa multa é equivalente a cerca de 445 mil dólares.

A Rappi disse em comunicado que entendeu o inconveniente que as falhas no servidor no domingo poderiam ter causado e estava tentando resolvê-las.

“Estamos trabalhando para responder a essa solicitação com todas as informações disponíveis e colaborar, como sempre fizemos, com as autoridades relevantes”, afirmou a empresa.

A Uber não quis comentar imediatamente. A Domicilios.com e o iFood não responderam imediatamente aos pedidos de comentário.

(Reportagem de Luis Jaime Acosta, reportagem adicional de Nelson Bocanegra em Bogotá e Gabriela Mello em São Paulo)

tagreuters.com2020binary_LYNXMPEG4E1XA-VIEWIMAGE