Notícias

Oeste do Paraná já registra falta de combustível e lotação em supermercados

O reflexo vem da comunidade, que saiu de casa e busca abastecer veículos e também carrinhos de supermercado, diante da manifestação dos caminhoneiros

Aline
Aline Cristina / Repórter
Oeste do Paraná já registra falta de combustível e lotação em supermercados
(Foto: Fidel Alvarenga)

9 de setembro de 2021 - 09:40 - Atualizado em 9 de setembro de 2021 - 13:49

A manifestação dos caminhoneiros em todo o país entra em seu terceiro dia e no Oeste, já ocorre a falta de combustíveis em postos da cidade de Foz do Iguaçu e Toledo.

Em Foz do Iguaçu, na Fronteira com o Paraguai, a situação é mais crítica e pode faltar além do combustível, também alimentação. O reflexo vem da comunidade, que saiu de casa e busca abastecer veículos e também carrinhos de supermercado. A equipe da RIC Record TV, que acompanha a situação na fronteira, afirma que vários postos da cidade já estão sem combustível.

“A iminência da falta de produtos já acontece em Foz do Iguaçu. Posto de gasolinas estão com grandes filas e o pessoal está indo para os supermercados. Nós temos uma expectativa não tão boa em relação a isso. Acreditamos que possa faltar produtos na parte da tarde.”

Rodrigo A. Ghellere – Rodrigo A. Ghellere – Presidente SindiFOZ

A fronteira também pode atravessar outro problema, isso em relação ao turismo, principalmente no aeroporto. O município registrou um grande movimento durante o feriado, e agora que seria o momento de estabilizar os “estoques”.

“ A gente tem que pensar em gasolina de avião. Foz do Iguaçu teve um movimento muito grande no feriado. Se a gente não conseguir trazer combustível para o aeroporto isso também atrasa a questão de voos”

Rodrigo A. Ghellere – Presidente SindiFOZ

O Presidente do SindiFoz (Sindicato Transporte Rodoviário Patronal), afirma estar preocupado com a situação e relata que o movimento nas rodovias está sendo desordenado.

“ O que está acontecendo nas rodovias está sendo desordenado, não existe uma pessoa que a gente consiga se direcionar e fazer o acordo para que as funcionalidades básicas do município prossigam, isso é bastante alarmante”.

Rodrigo A. Ghellere – Presidente SindiFOZ

Por outro lado, Gilmar Borges da Silva, diretor do Sindicato Sinecofi (Sindicato dos Empregados no Comércio de Foz do Iguaçu), acredita que não haverá a falta de insumos na cidade, mas a situação pode mudar a qualquer momento.

“Em relação a alimentação e combustível acreditamos que não vai faltar abastecimento, no entanto vamos ter que analisar como vai ser o andamento da paralisação nos próximos dias e como a população irá se comportar.”

Gilmar Borges da Silva – Diretor do Sindicato

Em nota, a Apras (Associação Paranaense de Supermercados) informou que ainda não há falta de produtos nas lojas já que o estoque foi abastecido no início da semana.

“A partir de amanhã, pode ter falta de produtos perecíveis, principalmente hortifrútis. A previsão é de que faltem demais produtos apenas se a greve tiver continuidade, para essa semana não há previsão de abastecimento. Consideramos a movimentação tranquila, pessoal ainda não foi desesperado para os mercados para estocar alimentos.”

Apras (Associação Paranaense de Supermercados)

Na cidade de Toledo, alguns postos estão sem gasolina, durante a manhã de hoje os moradores tiveram que rodar pelo município para localizar combustível. Algumas pessoas saíram de Toledo à procura de postos nas rodovias.

Segundo o motorista Maicon Santos, desde a noite de quarta-feira (08), já eram registradas filas em postos de combustíveis da cidade. A grande procura também mudou os preços nas bombas .

“Quando cheguei para abastecer, vi que o preço ultrapassava os seis reais. Nesta semana mesmo eu abasteci e o valor era outro praticado pelos postos. Sem falar que já não havia mais combustível e tive que ir até o distrito de Sede Alvorada para abastecer.”

Maicon Santos – motorista

Em Cascavel no Oeste do Estado não há registro de movimentação maior em postos de combustíveis nem em supermercado. No fim da manhã, caminhoneiros se concentraram na PR-486, próximo ao Ceasa e realizaram manifestação. O transito está no sistema pare e siga. Sendo aberto a cada cinco minutos de bloqueio.

(Foto: Cícero Bittencourt)

Em nota, o Paranapetro (Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis e Lojas de Conveniências do Estado do Paraná), informou que não recebeu registros de desabastecimento de combustíveis em nenhuma região do Paraná, e alerta para o uso consciente da população. Veja a nota na íntegra.

“Até a manhã desta quinta-feira (9/9), não recebemos registros de desabastecimento de combustíveis em nenhuma região do Paraná. O que pode ocorrer são casos pontuais em alguns postos.

Diante disso, é importante que a população faça um consumo consciente. Uma corrida aos postos, com vendas muito acima do normal, pode gerar falta do produto em determinadas regiões.

O Paranapetro reforça, entretanto, que espera que as manifestações não se intensifiquem, pois bloqueios poderiam prejudicar a distribuição de combustíveis.”

(Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis e Lojas de Conveniências do Estado do Paraná)