Notícias

Obra da segunda ponte entre Brasil e Paraguai chega a 57% de execução; estrutura deve ser entregue em 2022

O investimento na ponte é estimado em R$ 323 milhões, dos quais já foram aplicados cerca de R$ 136 milhões – o equivalente a 42% do valor total

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais
Obra da segunda ponte entre Brasil e Paraguai chega a 57% de execução; estrutura deve ser entregue em 2022
(Foto: Alexandre Marchetti/Itaipu Binacional)

28 de maio de 2021 - 12:02 - Atualizado em 28 de maio de 2021 - 12:02

As obras da segunda ponte de ligação entre o Brasil e Paraguai atingiram 57% de execução durante o mês de maio. A chamada Ponte Internacional da Integração é a segunda que atravessa o Rio Paraná, e liga Foz do Iguaçu, no Oeste do Estado, à cidade paraguaia de Presidente Franco. A previsão é que a ponte seja entregue em 2022.

A obra é resultado de uma parceria entre Itaipu Binacional e Governo do Paraná, integrando um pacote de mais de R$ 1 bilhão de investimentos da hidrelétrica na infraestrutura do Estado. O Governo do Paraná é responsável pela gestão da execução da obra, por meio do Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR).

O investimento na ponte é estimado em R$ 323 milhões, dos quais já foram aplicados cerca de R$ 136 milhões – o equivalente a 42% do valor total. Segundo o boletim técnico de maio publicado pelo DER-PR, no lado brasileiro a ponte avançou em dois pontos: na elaboração da segunda etapa da caixa de equilíbrio – estrutura que nivela a ponte na altura da rodovia – e na estrutura de encontro, que liga a caixa interna à rodovia de acesso da ponte. Até o dia 31 de maio, a previsão é que o mastro principal alcance os 132 metros de altura.

Na margem paraguaia foi executado o quarto trecho em concreto armado em direção à margem do Rio Paraná. Também foram iniciadas a execução da segunda etapa da caixa de equilíbrio e as instalações necessárias para comportar os cabos de estaiamento da retaguarda da ponte. O mastro principal do lado paraguaio deve atingir os 113 metros de altura até o fim do mês.

(Foto: Alexandre Marchetti/Itaipu Binacional)

Estrutura

A ponte terá 760 metros de comprimento e um vão-livre de 470 metros – o maior da América Latina. Serão duas pistas simples com 3,6 metros de largura, acostamento de três metros e calçada de 1,7 metro nas laterais. Sua estrutura será maior que a primeira ponte de ligação ao Paraguai, a Ponte Internacional da Amizade, e se localiza a cerca de 10 quilômetros de distância dela.

Nova estrada

O boletim do DER/PR também aponta o avanço nas obras da Rodovia Perimetral Leste, nova estrada que desenha um contorno da BR-277 até a nova ponte. O objetivo é concentrar, nesta via, o fluxo de veículos pesados, liberando o perímetro urbano de Foz do Iguaçu e deixando a Ponte da Amizade para veículos de passeio, ônibus e vans de turismo e veículos de entrega rápida.

As obras, que começaram em março de 2021, chegaram a 2,5% de execução em maio. Até o momento, foram investidos R$ 2,6 milhões dos R$ 174 milhões previstos até sua conclusão, também financiados pela Itaipu Binacional por meio de um pacote de investimentos. Sua previsão de entrega é para agosto de 2022.

Segundo o boletim, as obras avançam na construção dos dois viadutos que integrarão a estrada. Um deles faz a interseção com a BR-469 (Rodovia das Cataratas), e está no estágio inicial da obra, com a implementação de estacas na etapa de fundações. O segundo viaduto, que cria um acesso à Ponte Tancredo Neves (que liga o Brasil à Argentina), se encontra no estágio de mesoestrutura, com a execução das paredes estruturais dos blocos de sustentação.

Também estão sendo realizados serviços de terraplenagem e supressão vegetal ao longo dos 15 km de extensão da nova rodovia. Além dos dois viadutos, seu projeto prevê duas travessias, duas aduanas e uma rotatória alongada.

O Paraguai também terá sua própria rodovia de acesso à ponte, obra ainda não iniciada. Orçada em US$ 172 milhões, ela será custeada pelo governo paraguaio e terá 35 km de extensão. Seu projeto inclui um viaduto, duas pontes, um trevo, um centro integrado de cargas e uma área de controle primário.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.