Notícias

Nove animais exóticos são apreendidos sob posse irregular de um jovem, em Maringá

De acordo com órgãos oficiais, o jovem ostentava a criação irregular dos animais nativos e exóticos em suas redes sociais

Caroline
Caroline Maltaca / Estagiária
Nove animais exóticos são apreendidos sob posse irregular de um jovem, em Maringá
(Foto: IAT/SEDEST)

26 de maio de 2021 - 16:57 - Atualizado em 26 de maio de 2021 - 16:57

Nove animais de espécies nativas e exóticas foram apreendidos durante cumprimento de mandados de busca e apreensão em Maringá, no Noroeste do Estado, nesta terça-feira (25). Entre os animais apreendidos, estavam quatro cobras (Píton-indiana, Píton-ball, Jiboia-constricto, king snake), três lagartixas, uma iguana e um gamba-de-orelha-branca.

De acordo com o Instituto Água e Terra (IAT), os nove animais estavam sob a posse de um jovem que ostentava a criação deles nas redes sociais, atitude que chegou ao conhecimento dos fiscais ambientais. Quando abordado, o jovem afirmou que tinha autorização para criar como animais de estimação, o que não procede.

Já era investigado

De acordo com a bióloga e chefe do setor de Fauna do IAT, Paula Vidolin, o rapaz já vinha sendo investigado por outra instância.

“O pedido de regularização dos animais chegou a ser feito ao Escritório Regional do IAT em Maringá, mas foi indeferido por se tratar de animais de origem ilegal, além de algumas espécimes exóticas não autorizadas”,

afirmou.

A bióloga destacou, ainda, que o jovem foi comunicado oficialmente da proibição de expor os animais na mídia e na internet, sendo passível de multa. Também foi advertido quanto ao prazo para apresentar documentação de origem dos animais.

Havia, ainda, a possibilidade de entrega voluntária dos animais sem ônus, na falta da documentação exigida. Com todas as determinações desrespeitadas, foi solicitado apoio à justiça para emissão dos mandados de busca e apreensão.

“A maioria dos animais mantida pelo autuado era de origem legal e, portanto, foram apreendidos e destinados a criadouros legalizados junto ao IAT, que seguem todos os preceitos de bem-estar e qualidade de vida, como recintos adequados e climatizados de acordo com os requisitos das espécies, alimentação adequada e manejo realizado por biólogos e médicos veterinários”,

cita a Bióloga do IAT Jéssica Jasinski.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.