Notícia Boa!

Cinco motivos para adotar um pet em Londrina

Está pensando em adotar um gatinho ou cãozinho? O RIC Mais separou cinco histórias de pessoas que adotaram e amam muito o seu pet sem raça definida

André
André Justus
Cinco motivos para adotar um pet em Londrina
Imagem: Reprodução/Pexels

31 de julho de 2020 - 14:25 - Atualizado em 31 de julho de 2020 - 19:05

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostram que existem mais de 30 milhões de animais deixados em situação de rua no Brasil, sendo cerca de 10 milhões de gatos e 20 milhões de cães. Assim, nesta sexta-feira (31), dia do Vira-Lata, separamos cinco motivos que vão deixar você com vontade de adotar um pet.

cinco motivos adotar
Foto: Reprodução/Arquivo pessoal
  1. Para ajudar no seu emocional

“A marga foi muito importante para minha saúde mental” comenta a chefe de cozinha Larissa Oliveira, dona da Margarida, adotada aproximadamente há 3 anos. Uma amiga dela havia encontrado o animal debilitado na rua e ela se prontificou em cuidar. “Eu estava triste pois tinha perdido uma cachorrinha recentemente. Ela [Margarida] chegou em casa com muitos medos e traumas, mas aos poucos fomos superando juntas”. Para a dona, ver a sua recuperação e as mudanças de comportamento durante os três anos é um sentimento muito bom.

“Quando eu falo vamos tomar banho, ela se enfia até no buraco do sofá para escapar”, Larissa sobre Margarida.

cinco motivos adoção
Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal
  1. Para ter uma boa companhia

A Helena chegou na vida do jornalista Gustavo Nakao há 2 anos. Ele adotou ela numa feirinha que acontecia em frente ao Mercadão da Prochet. “Olhei para a Helena e achei ela linda, com os olhinhos coloridos. Quando a peguei no colo, ela me abraçou”. Para Gustavo, a cachorrinha sempre foi muito carinhosa e uma companheira para toda a sua família, demonstrando constantemente afeto. “Ela ama ficar perto da gente, deitar em cima da gente”, comenta.

“Ela leva os brinquedos por todos os cômodos da casa, onde ela quer brincar” – Gustavo sobre Helena

Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal
  1. Para ter alguém que assista televisão com você

O Pirata foi adotado em 2017 para fazer companhia para uma outra cachorrinha chamada Brisa. A jornalista Gabriela Campos queria um cachorro para chamar de seu. “Eu nunca tive o meu cachorro, era sempre o da minha irmã”, brinca. Apesar do Pirata dar um pouco de trabalho dentro de casa, a jornalista diz que ele é o seu “favorito” dentre os outros cachorros que possui. Uma das suas manias acontece durante os jogos de futebol que a família acompanha. “Às vezes, estamos assistindo ao jogo e ele vê a bola na televisão e começa a latir e correr”, comenta sobre o cachorro chegar a tentar subir no hack para “tentar entrar” na televisão.

“Ele já comeu uma bíblia” – Gabriela sobre Pirata

Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal
  1. Para ter muito amor

Para não deixar os “gateiros” de fora, a publicitária Júlia Frank de Moura apresenta a sua gatinha chamada Juno, adotada há 3 anos no projeto 7 Vidas em Londrina. “Adotar um bichinho é mudar de vida pra sempre. Pra uma vida melhor, mais feliz e mais cheia de amor”, comenta a dona lembrando que sempre teve gatos resgatados e que não consegue se imaginar vivendo sem um felino. “Ela [Juno] não pode ver uma bolinha de papel ou ouvir alguém amassando uma nota fiscal”. Júlia lembra que adotar um animal tem muitas responsabilidades, os gatos podem viver até 20 anos e “eles precisam estar inclusos em todos os planos de vida”.

 “A Juno é super bagunceira” – Júlia sobre Juno

Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal
  1. Para ter uma conexão

A Mila entrou na vida da Carolina Thomasi no início de 2019, uma adoção que foi amor desde o início. “Fui andando pela feira e ela estava lá. Pedi para pegar no colo e nem sabia se era macho ou fêmea, só sabia que era ela [a escolhida]”. Para Carolina o importante na hora de adotar é a conexão com o bichinho. “Conexão não tem a ver com raça, tem a ver com sentimento”, comenta ao dizer que as duas estão sempre em sintonia. “Se eu durmo, ela dorme, se eu estou agitada, ela quer ficar brincando”.

“Quando peguei no colo, tive certeza. Chorei e adotei” – Carol sobre Mila

Onde adotar em Londrina?

Associação Amigo Bicho – Há 8 anos, a associação trabalha cuidando de cães e gatos que foram abandonados. São aproximadamente 150 animais que recebem os cuidados necessários e procuram por um dono. Para adotar é necessário ser maior de idade e passar por uma entrevista. Assim, não basta apenas querer ter o animal, é importante se comprometer com algumas responsabilidades no termo de adoção. “É necessário manter as vacinas em dia, não manter acorrentado. Se tiver crianças é importante explicar que não é um brinquedo”, explica a voluntária Ana Maria Mendonça.

SOS Vida Animal – Há 31 anos em Londrina, a Organização Sem Fins Lucrativos trabalha com cães e gatos também. Neste momento, são aproximadamente 100 cães e 60 gatos, mas o número deve mudar logo. “Até a tarde [de sexta-feira] o número pode alterar pois estamos com 5 mãezinhas prestes a dar à luz e alguns adotantes serão entrevistados” comenta a voluntária Mônica Maroca. Para ela, a adoção é importante para que novos casos sejam acolhidos. Para adotar é necessário preencher um termo de adoção e se enquadrar nos critérios da organização.

E agora? Está preparado para adotar um animalzinho? Caso esteja inseguro ainda, procure outras formas de auxiliar esses grupos que proporcionam uma segunda chance para os animais em Londrina

Receba as melhores notícias de Londrina e região pelo Whatsapp. Faça parte do grupo!