Notícia Boa!

Após viver em situação de rua, curitibano conquista emprego, casa e sonha reunir a família

Com formação de magistério, Carlos voltou à cidade em maio deste ano com o objetivo de refazer os documentos roubados em Itajaí (SC) e buscar novas oportunidades de emprego

Caroline
Caroline Maltaca / Estagiária com informações da Prefeitura Municipal de Curitiba e supervisão de Giselle Ulbrich
Após viver em situação de rua, curitibano conquista emprego, casa e sonha reunir a família
Após viver em situação de rua, curitibano conquista emprego, casa, e sonha reunir a família (Foto: Andre Wormsbecker)

23 de agosto de 2021 - 20:40 - Atualizado em 23 de agosto de 2021 - 20:40

Carlos Fabiano do Nascimento, de 39 anos, está retomando à vida que perdeu em função do desemprego. Após ficar quase cinco meses em situação de rua em Curitiba e ser acolhido pela Fundação de Ação Social (FAS), recentemente, o curitibano conseguiu um emprego em um centro comercial da capital paranaense e agora, conta os dias para voltar a ficar perto da mulher e do filho que estão em Santa Catarina, onde viveu por cinco anos.

“Consegui minha vaga por acaso, quando fui levar um amigo venezuelano até este centro comercial. Ele também estava desempregado e ia levar um currículo e eu aproveitei para deixar o meu. Fiz entrevista no mesmo dia e uma semana depois fui contratado”,

conta o paranaense.

Com formação de magistério, Carlos voltou à cidade em maio deste ano com o objetivo de refazer os documentos roubados em Itajaí (SC) e buscar novas oportunidades de emprego. De acordo com a Prefeitura, durante 16 dias ele havia dormido nas ruas da cidade catarinense, onde não conseguiu vaga de acolhimento.

Na capital, Carlos passou uma noite na Rua XV de Novembro e no dia seguinte foi resgatado pela FAS, depois de ligar no 156. Foi acolhido em uma casa de passagem e depois em dois hotéis sociais, onde podia se alimentar, fazer a higiene e dormir protegido.  

Novos rumos

Segundo a Prefeitura de Curitiba, Carlos refez os documentos como as carteiras de identidade e de reservista, a certidão de nascimento e passou a ter um comprovante de endereço da unidade em que estava abrigado. Ele também foi inserido no Cadastro Único, o qual aguarda a resposta se terá direito a receber algum benefício social.

Com o emprego garantido, Carlos se mudou para um quarto de pensão, no Centro de Curitiba. O primeiro aluguel foi pago por outro amigo venezuelano que conheceu nos abrigos em que passou nos últimos meses.