Notícias

No Domingo de Ramos, papa diz que o Diabo se aproveita da pandemia

Reuters
Reuters

28 de março de 2021 - 14:09 - Atualizado em 28 de março de 2021 - 14:09

Por Philip Pullella

CIDADE DO VATICANO (Reuters) – O papa Francisco conduziu a missa do Domingo de Ramos em uma Basílica de São Pedro praticamente vazia pelo segundo ano consecutivo por conta das restrições do coronavírus e afirmou após o culto que o diabo está se aproveitando da pandemia.

Em tempos pré-coronavírus, o Domingo de Ramos, que marca o início da Semana Santa até a Páscoa, dezenas de milhares de pessoas lotariam a Praça de São Pedro segurando ramos de oliveira e folhas de palmeira em uma cerimônia ao ar livre.

Em vez disso, apenas cerca de 120 fiéis participaram da missa deste domingo, juntando-se ao papa e a cerca de 30 cardeais em uma ala secundária da enorme basílica.

“No ano passado, ficamos chocados. Este ano estamos mais sob pressão e a crise econômica se tornou pesada”, disse Francisco em seu tradicional discurso de domingo ao meio-dia após a missa.

A Itália está em meio a um novo lockdown nacional, que deve terminar após a Páscoa. Na quarta-feira, o papa ordenou que cardeais e outros clérigos reduzissem seus salários para salvar os empregos de outros funcionários.

“O diabo está aproveitando a crise para semear desconfiança, desespero e discórdia”, disse ele, acrescentando que a pandemia trouxe sofrimento físico, psicológico e espiritual.

Desde que tornou-se papa em 2013, Francisco deixou claro que acredita que o diabo é real, dizendo em um documento de 2018 que é um erro considerá-lo um mito.