Notícias

Nas profundezas da Amazônia, indígenas recebem vacina contra o coronavírus

Reuters
Reuters
Nas profundezas da Amazônia, indígenas recebem vacina contra o coronavírus
Indígena recebe dose de vacina contra o coronavírus em Tabatinga, no Amazonas

19 de janeiro de 2021 - 21:05 - Atualizado em 19 de janeiro de 2021 - 21:10

Por Adriano Machado e Leonardo Benassatto

TABATINGA, Amazonas (Reuters) – O Exército brasileiro enviou profissionais de saúde com 1.000 doses da vacina chinesa CoronaVac às profundezas da Amazônia, nesta terça-feira, para começar a imunizar indígenas contra o coronavírus.

Isabel Ticuna, de 68 anos, foi a primeira a receber a vacina em Umariaçu, uma vila com casas de madeira às margens do rio Amazonas. A vila é uma comunidade remota próxima à fronteira com Peru e Colômbia.

“A vacina é muito importante para toda nossa comunidade indígena. Era o que estávamos esperando”, disse ela, após receber a injeção da CoronaVac, desenvolvida pela chinesa Sinovac.

Moradores da vila aplaudiram quando ela recebeu a injeção, uma demonstração coletiva de alívio para uma comunidade que perdeu 37 moradores para a Covid-19 e teve cerca de 2.000 infectados.

“Eu estava ansioso, mas o dia D finalmente chegou, depois de tantas mortes aqui e no mundo”, disse Tarcis Marques Ticuna, agente de saúde do vilarejo. “É uma esperança para nós”.

O coronavírus matou 926 pessoas dos mais de 800.000 integrantes de povos indígenas no Brasil e infectou mais de 46.000, segundo a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil.

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH0J004-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.