Notícias

Não há necessidade de BCE impulsionar esquema de compra de títulos não emergencial agora, diz Muller

Reuters
Reuters

7 de dezembro de 2021 - 12:07 - Atualizado em 7 de dezembro de 2021 - 12:07

Por Balazs Koranyi

FRANKFURT (Reuters) – A inflação da zona do euro pode exceder a previsão do Banco Central Europeu (BCE) no longo prazo, então não há razão agora para impulsionar um programa de compra de títulos em vigor desde antes da pandemia quando o esquema emergencial encerrar em março, disse o membro do BCE Madis Muller.

O BCE está debatendo a vida após o término do Programa de Compras de Emergência da Pandemia (PEPP, na sigla em inglês) de 1,85 trilhão de euros.

“O PEPP pode chegar a zero em termos de compras líquidas até 31 de março”, disse Muller, presidente do banco central da Estônia, em entrevista à Reuters.

“Além disso, não é óbvio para mim que devemos — em adição ao que já comunicamos em termos de compras contínuas sob o Programa de Compra de Ativos (APP) — nos comprometer a acrescentar mais estímulos em cima do que já temos”, disse ele.

Como a incerteza é excepcionalmente alta com relação ao crescimento e à inflação, o BCE deve manter suas opções abertas para mudar o curso rapidamente, caso necessário, argumentou Muller.

“Dada a incerteza em torno das perspectivas de curto prazo, acho que seria sensato não se comprometer com um nível específico de compras por mais do que alguns trimestres à frente”, acrescentou.

O BCE também não deve comunicar uma data de término para a compra de títulos, mantendo suas opções em aberto.

(Por Balazs Koranyi)