Mundo Animal

Cinomose tem cura? Veja o que é, sintomas e tratamento

As vacinas protegem os cachorros contra a cinomose e outras doenças graves. Em caso de suspeitas, é preciso entrar em contato com o veterinário de sua confiança.

Carolinne
Carolinne Moraes
Cinomose tem cura? Veja o que é, sintomas e tratamento
Saiba tudo sobre a cinomose, grave doença viral contagiosa. (Foto: Moshe Harosh por Pixabay)

7 de fevereiro de 2020 - 00:00 - Atualizado em 18 de setembro de 2020 - 23:43

Uma das maiores causas de morte em cães que vivem com seus donos é a cinomose. A doença, grave e contagiosa, é transmitida pelo vírus Canine Distemper Vírus (CDP). Além de cachorros, acomete furões (ferrets), raposas e outros similares. No entanto, é possível prevenir a doença por meio de vacinação e alguns outros cuidados. Saiba mais sobre o assunto!

cinomose aparece quando cães inalam o vírus de outros cães que já estão contaminados. A transmissão pode acontecer de diversas formas, através do contato com urina, fezes e secreções de animais infectados.

O contágio acontece nas ruas, no pet shop e até em uma clínica veterinária, já que há grande circulação de pets saudáveis e também doentes. Pela facilidade de transmissão, o simples cuidado em casa não basta. Humanos não são contaminados pelo vírus.

O que é cinomose?

A cinomose é uma infecção viral altamente contagiosa, capaz de levar a morte ou deixar sequelas graves. A doença afeta animais do grupo canídeos, como cachorros, raposas, furões e lobos, além de outros tipos de animais silvestres.

Todo e qualquer cachorro pode ser infectado, mas a doença afeta principalmente os mais jovens, entre 3 e 6 meses de vida. A cinomose em filhotes que não concluíram as vacinas é bastante comum, assim como em cachorros adultos que não foram vacinados, ou não receberam o reforço anual da vacina múltipla.

A doença acomete cachorros e é altamente contagiosa.

Os sintomas da cinomose

Os sintomas da cinomose podem começar de forma bastante silenciosa. Mesmo assim, é preciso estar atento à evolução de qualquer quadro que pareça estranho no seu cachorro.

Em geral, no quadro inicial a respiração do animal pode ficar difícil e até evoluir para uma pneumonia. Entre os sintomas também estão problemas no sistema digestivo, como diarreias, vômitos e perda de apetite, e secreção no nariz e nos olhos.

Se nada disso for tratado a tempo, a cinomose canina pode desenvolver conjuntivite e começar a causar episódios de convulsão, problema nos movimentos das patas, paralisia parcial ou total, falta de coordenação e dificuldade em andar em linha reta. Alguns tutores relatam que o animal parece estar confuso e sem enxergar. 

sintomas cinomose

Confira abaixo todos os sintomas que a doença viral pode causar:

  • Apatia;
  • Fraqueza;
  • Perda de apetite;
  • Dificuldades respiratórias;
  • Diarreia;
  • Vômito;
  • Febre;
  • Secreções oculares;
  • Secreções nasais;
  • Convulsões;
  • Paralisias;
  • Contrações musculares involuntárias;
  • Falta de coordenação;
  • Uivos e latidos de choro;
  • Pneumonia.

Cinomose tem cura?

Felizmente, a cinomose tem cura, mas exige um tratamento eficaz e muita atenção dos tutores e veterinários. O processo é longo e delicado, a cura só é possível com diagnóstico precoce, por isso muita gente acredita que a cura canina não existe.

Entretanto, mesmo tratando os sintomas de maneira correta, a cinomose pode deixar sequelas para o resto da vida do pet. Por isso, é necessário oferecer recursos que combatam essas sequelas, que podem ser graves. É preciso também ficar sempre atento, já que a imunidade do cachorro fica mais baixa e o risco de outras doenças surgirem é maior. 

Tratamento

Não existe um remédio para cinomose capaz de combater a doença, todos os medicamentos para o vírus ainda estão em fase de testes. O que pode ser feito é um tratamento dos sintomas, para que assim o sistema imunológico do animal se fortaleça, sendo possível curar a infecção.

Os tratamentos para cinomose mais utilizados são terapia de suporte com antivirais, vitaminas, suplementos, acupuntura e fisioterapia.

Tratamento exige muito cuidado e dedicação.

No entanto, as chances de sobrevivência são bastante baixas e são raros os casos de cura da cinomose. O tempo de vida de um cachorro com cinomose varia de acordo com o estágio da doença. Em estágios avançados, apenas 15% dos animais sobrevivem.

Prevenção da cinomose

Prevenir a cinomose é fácil e não requer muito dos tutores. O principal é estar sempre com a carteira de vacinação do animal em dia e tomar cuidado para não atrasar as datas corretas. A vacina tem a eficácia de diminuir em mais de 90% o risco de contágio da doença. As doses devem ser reaplicadas todo ano e filhotes devem receber a primeira vacina aos 45 dias de vida. 

Também é importante evitar que seu animal tenha contato com animais de rua e outros pets que você saiba que não receberam as doses da vacina para a cinomose. Quando for ao pet shop, certifique-se de que os animais recebidos no estabelecimento estão vacinados e se os tutores apresentam a carteira de vacinação.

As vacinas ainda protegem, além da cinomose, a hepatite, a parvovirose, a coronavirose e a leptospirose. Em caso de suspeitas, é preciso entrar em contato o quanto antes com o veterinário de sua confiança. A Prefeitura de Curitiba lança campanhas de avaliação gratuitas nas regionais da cidade. 

Cinomose em gatos existe?

O nome vem do prefixo“cino”,  que se refere a cachorros. Apesar disso, a cinomose afeta os gatos e também pode ser fatal. A doença viral em gatos é conhecida como panleucopenia felina, com sintomas muito semelhantes aos dos cachorros. Da mesma forma, a prevenção é feita através da vacinação anual.

Gostou do conteúdo? Compartilhe com os donos de cachorros para que saibam a importância de manter a vacinação dos pets em dia! 🐶😍

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.