Notícias

Mulher suspeita de mandar decapitar e matar o ex-marido é presa

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

12 de novembro de 2018 - 00:00 - Atualizado em 12 de novembro de 2018 - 00:00

O corpo da vítima foi encontrado em Colombo, na região metropolitana de Curitiba (Foto: divulgação Polícia Militar)

A suspeita, que tem 28 anos, foi presa temporariamente pelos crimes de homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver do ex-marido

Uma mulher de 28 anos foi presa temporariamente nesta sexta-feira (9), sendo a principal suspeita por cometer crimes de homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver do seu ex-marido, Edivaldo Dias, de 38 anos.

Corpo encontrado por moradores da região

A vítima, que estava desaparecida no dia 13 de outubro, foi encontrado sem cabeça no dia 16 de outubro por moradores da área rural de Colombo, região metropolitana de Curitiba.

Segundo a investigação, dias depois do desaparecimento de Edivaldo Dias, moradores da região viram rastros de de sangue no matagal, e foram averiguar o que seria. No local, os indivíduos se depararam com o corpo decapitado.

No outro dia, crianças curiosas com a situação foram até os arredores e acharam a cabeça da vítima, que foi sepultada separadamente ao corpo.

Ao todo cinco testemunhas foram ouvidas, entre elas duas sigilosas, concluindo a investigação. Uma das testemunha confirmou que foi contratada para matar Edivaldo e a outra ouviu da investigada, detalhes de como decapitou Edivaldo Dias.

Investigação do caso

O homem desapareceu no dia 13 de outubro, e em seu aparelho celular havia uma ligação realizada pela suspeita às 5h da manhã. De acordo com a polícia, já existiam boletins de ocorrência registrados pela vítima contra a ex-mulher. Segundo ele, ela teria tentado esfaqueá-lo.

Além da ligação e dos boletins de ocorrência, a polícia conta que recebeu uma denúncia anônima de que a mulher teria cometido o crime. Tito Lívio Barichello, delegado responsável pelo caso, esclarece que uma nova investigação foi iniciada, pois um ex-namorado da suspeita também teria sido assassinado anos atrás.

Cinco testemunhas foram ouvidas

Ao todo, cinco testemunhas foram ouvidas, sendo duas sigilosas. De acordo com a polícia, uma das testemunhas confirmou que foi contratada para matar Edivaldo e a outra teria ouvido da própria investigada detalhes de como decapitou o homem.

Presa em Santa Catarina

A mulher foi presa em Rio do Sul, em Santa Catarina (SC), por policiais civis da Delegacia de Almirante Tamandaré.

Durante a prisão, a suspeita chegou a oferecer R$ 10 mil para não ser presa pela equipe policial, o que ainda a fez ser autuada em flagrante pelo crime de corrupção ativa.

A mulher foi encaminhada para a Delegacia de Almirante Tamandaré e permanece à disposição da Justiça.

Relembre o caso

Um corpo decapitado do sexo masculino foi encontrado na manhã desta terça-feira (16), no Morro Grande, em Colombo, região metropolitana de Curitiba.

Segundo familiares da vítima, ele saiu de casa na madrugada de sábado (13), por volta das 5h40 após atender um telefonema e não foi mais visto.

No local, um soldado da Polícia Militar pediu apoio para ver se a cabeça da vítima está próxima a região em que o corpo foi encontrado.

A vítima foi encontrada sem camiseta, de calça jeans e tênis. No corpo também foram encontrados sinais de uso de arma de fogo.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.