Notícias

Mulher baleada e que viu o ex ser morto dentro de casa revela medo do suspeito: “Ele é capaz de tudo”

Suspeito de cometer o crime manteve relacionamento com a mulher durante 6 anos e agora está preso

Guilherme
Guilherme Becker / Editor reportagem RIC Record TV, Curitiba
Mulher baleada e que viu o ex ser morto dentro de casa revela medo do suspeito: “Ele é capaz de tudo”
(FOTO: REPRODUÇÃO/ RIC RECORD TV)

28 de abril de 2020 - 00:00 - Atualizado em 1 de julho de 2020 - 14:44

A mulher que teve a casa invadida no litoral do Paraná na última quarta-feira (22) e viu o ex-marido ser morto no chão do quarto da residência conversou nesta segunda-feira (27) com a equipe da RIC Record TV. Em período de recuperação, após ser atingida por disparo de arma de fogo na região da barriga, Rosângela Alves contou que ainda tem muito medo do ex-companheiro, que cometeu o crime.

De acordo com a mulher, Jilvani, homem que foi preso poucas horas após o crime, manteve um relacionamento com ela durante seis anos. Entretanto, desde janeiro Rosângela estava tentando a separação, mas ele não aceitava.

Mulher revela detalhes da relação com o suspeito

Após receber alta do hospital, Rosângela revelou detalhes do dia do crime e também sobre a relação que tinha com Jilvani. De acordo com a mulher, na madrugada do dia 22, quando ela estava em casa com o ex-marido, a mãe e dois filhos, Jilvani arrombou a porta e logo efetuou os disparos.

Adenilson Rocha, que estava dormindo na casa da ex-mulher pois estava fazendo uma obra no local, não resistiu aos ferimentos e morreu logo que chegou ao hospital. Rosângela também ficou ferida, mas se recuperou. Já o autor dos disparos foi preso pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) na região de São José dos Pinhais.

Na entrevista, Rosângela contou que ficou com o suspeito durante seis anos, porém, o relacionamento estava bastante conturbado. Segundo ela no início foi ótimo, mas com o passar do tempo Jilvani começou a sentir muitos ciúmes e não gostava nem que a mulher frequentasse a casa de parentes, supermercados e até o celular sem bateria era motivo de brigas.

“Ele dava pensão para minha filha e ele falava, que se eu terminasse com ele eu teria que devolver o dinheiro da pensão. E que eu teria que ter relações com ele porque essa pensão que ele pagava, eu era obrigada a fazer isso. Ele me ameaçava de tudo que é maneira. Daí a gente brigava, quebrava o pau, eu fugia e depois quando eu voltava ele fazia de conta que não tinha acontecido nada”, declarou Rosângela.

Agora após se recuperar, a mulher contou que ainda tem muito medo do Jilvani, pois segundo ela, “ele é capaz de tudo”.

O suspeito permanece preso e caso está sendo investigado pela 1ª Delegacia Regional de São José dos Pinhais. O delegado Fábio Machado contou que Jilvani já cometeu outros crimes, inclusive contra a família de Rosângela.

“Nesse inquérito policial ele está respondendo por porte ilegal de arma de fogo, homicídio qualificado consumado e feminicídio tentado. Mas ele ainda tem outros dois inquéritos policiais, um por estupro, que seria contra a filha dessa mesma vítima (Rosângela), e também um inquérito de homicídio de 2004”, informou o delegado Fábio Machado.

Confira mais informações: