Notícias

Empresário que bateu Porsche em Curitiba fugiu do hospital e acumula ficha com infrações de trânsito

Homem é proprietário de lavação veicular especializada e estacionamento em Curitiba

Guilherme
Guilherme Becker / Editor

26 de dezembro de 2019 - 00:00 - Atualizado em 1 de julho de 2020 - 15:02

O acidente envolvendo um veículo Porsche na madrugada do último domingo (22) continua sendo investigado. Nesta quarta-feira (25), o delegado da Polícia Civil que acompanha o caso, Leonardo Carneiro, revelou que o homem que estava conduzindo o carro fugiu após passar pela triagem de um hospital. Ao traçar um perfil do suspeito, a equipe de reportagem da RICTV descobriu que o homem acumula infrações de trânsito.

Michel Moro Arrata, de 31 anos, é dono de três lojas especializadas em lavação de veículos e também de um estacionamento na capital paranaense. Nesta quinta-feira (26) ambos os comércios estavam fechados.

Motorista foge do hospital

O acidente na rua Pedro Viriato Parigot de Souza envolvendo um Porsche ainda segue com mistérios. Após ser socorrido por testemunhas, que estavam próximo ao local, o motorista foi encaminhado ao Hospital Universitário Evangélico Mackenzie, porém, acabou fugindo logo após passar pela triagem.

O delegado Leonardo Carneiro recebeu vídeos que mostram o veículo realizando manobras perigosos a apenas duas quadras do local do acidente. A principal suspeita é que tenha acontecido uma falha mecânica, como, por exemplo, a explosão de um pneu, e assim causado o acidente.

Em outras imagens é possível ver que o Porsche segue em alta velocidade pela rua conhecida como Avenida do Mossunguê. Com os vídeos a polícia descartou a possibilidade de um racha com outros carros.

Ainda de acordo com a investigação, Michel Moro é reincidente em infrações de trânsito e já chegou a ter a habilitação suspensa.

Testemunha relata barulho “pior que o do Carli Filho”

A colisão do Porsche tem semelhanças com o acidente que envolveu o ex-deputado Carli Filho. Apesar desta nova batida não ter vítimas fatais, ambos foram no bairro Mossunguê, entretanto em vias com sentido contrário. 

Uma mulher que é moradora da região revelou detalhes sobre o dia do acidente, segundo ela, que também presenciou a colisão de Carli Filho, o barulho desta vez foi ainda maior. “Foi um barulho enorme, um estrondo assim, parecia até um prédio desabando. Foi um barulho inesquecível, pior que o do Carli Filho, que eu escutei também, esse foi bem pior”, conta a testemunha.

Confira as imagens e a matéria da RICTV

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.