Notícias

Morador de rua é atingido por bomba; testemunhas acusam PM por ataque

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

5 de maio de 2017 - 00:00 - Atualizado em 5 de maio de 2017 - 00:00

O morador de rua atingido por uma bomba foi encaminhado ao Hospital Cajuru (Foto: Marcelo Borges/ RICTV)

A bomba teria sido lançada por uma viatura da Polícia Militar enquanto o morador de rua dormia em um ponto de ônibus no Jardim Botânico, Curitiba

*Com informações do repórter Marcelo Borges, da RICTV Curitiba

Um morador de rua foi atingido por uma bomba enquanto dormia em um ponto de ônibus na Rua Engenheiro Rebouças, no Jardim Botânico, na madrugada desta sexta-feira (5). Testemunhas afirmam que o artefato explosivo foi lançado de dentro de uma viatura da Polícia Militar.

Um motociclista relatou à equipe de reportagem da RICTV | Record TV que um veículo Chevrolet Blazer da PM passou pelo local e jogou a bomba sobre a vítima. Um pedreiro que passava pelo local também afirma ter presenciado a cena e garante que o carro era da polícia.

Outros moradores de rua que dormem no mesmo ponto ficaram revoltados. Funcionários da lanchonete Karina e de outros comércios da região disseram que são frequentes as “maldades” que policias fazem com andarilhos da região, como jogar bolinhas de gude ou de ferro contra eles.  

A vítima desta madrugada foi atendida por socorristas do Corpo de Bombeiros e encaminhado ao Hospital Cajuru. Um médico que atendeu a ocorrência confirmou que os ferimentos do morador de rua identificado como Leandro Dutra Pereira, 40 anos, foram provocados por um artefato explosivo.

Assista à reportagem completa:

Posição da Polícia Militar

Nossa equipe tentou conversar com policiais militares que estavam no local, mas eles não quiseram comentar o caso ou repassar qualquer informação. A área é atendida pelo 20º Batalhão da PM, mas fica próxima ao limite com a região atendida pelo 12º Batalhão. Na rua existem câmeras de segurança que podem ajudar no esclarecimento do caso.

Por meio de nota, a Polícia Militar informou que está levantando informações sobre a ocorrência e que, caso seja apurado o envolvimento de algum agente, um processo administrativo será aberto e os responsáveis serão punidos. A PM ainda afirmou que não compactua com qualquer tipo de desvio de conduta.

“Importante ressaltar que a corporação, para qualquer situação denunciada, busca a elucidação de todos os fatos, e, se comprovada a responsabilidade para qualquer um dos policiais militares, os instrumentos adequados de saneamento são adotados, na forma legal, sendo respeitados os direitos ao devido processo legal, à ampla defesa e ao contraditório, para qualquer militar estadual”, diz a nota.
 

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.