Notícias

Modi promete usar produção da vacina na Índia para ajudar “toda a humanidade”

Reuters
Reuters

26 de setembro de 2020 - 15:12 - Atualizado em 26 de setembro de 2020 - 15:12

Por Michelle Nichols e David Brunnstrom

NOVA YORK (Reuters) – O primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, prometeu neste sábado na ONU que a capacidade de produção de vacinas do seu país será disponibilizada globalmente para combater a crise de Covid-19.

“Como o maior país produtor de vacinas do mundo, quero dar mais uma garantia à comunidade global hoje”, disse Modi em um discurso pré-gravado na Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas.

“A capacidade de produção e distribuição de vacinas da Índia será usada para ajudar toda a humanidade no combate a esta crise.”

Modi disse que a Índia está avançando com os testes clínicos de Fase 3– testes em grande escala considerados padrão para determinar segurança e eficácia –e ajudará todos os países a melhorar sua capacidade de armazenamento para a entrega de vacinas.

Modi havia dito em agosto que a Índia estaria pronta para produzir em massa as vacinas contra Covid-19 tão logo os cientistas dessem sinal verde.

O secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, tem pressionado os países por uma “vacina popular” que possa ser disponibilizada de forma acessível em todos os lugares. Ele expressou sua preocupação na última terça-feira de que alguns países estariam “fazendo acordos paralelos visando exclusivamente suas próprias populações.”

“Esse ‘vacinacionalismo’ não é apenas injusto, é contraproducente. Nenhum de nós estará seguro até que todos estejam seguros. Todos sabem disso”, disse ele na Assembleia-Geral.

O primeiro-ministro australiano, Scott Morrison, disse na Assembleia-Geral na sexta-feira que “quem encontrar a vacina deve compartilhá-la.”

“Alguns podem ver vantagens de curto prazo, ou mesmo lucro”, disse Morrison. “Mas eu asseguro a todos que pensam assim: a humanidade terá uma memória muito longa e será um juiz muito, muito severo.”

“A promessa da Austrália é clara: se encontrarmos a vacina, vamos compartilhá-la. Essa é a promessa que todos devemos fazer”, disse Morrison.

O Papa Francisco disse às Nações Unidas na sexta-feira que os mais pobres e frágeis da sociedade deveriam receber tratamento preferencial assim que uma vacina contra o coronavírus estiver pronta.

A Índia, segundo país mais populoso do mundo depois da China, registrou mais de 5,8 milhões de casos de Covid-19, perdendo apenas para os Estados Unidos.

O número de mortos na Índia nesta semana superou 90.000 e o país tem relatado consistentemente o maior número de casos diários em qualquer lugar do mundo, com a densa população e sua muitas vezes rudimentar infraestrutura de saúde atrapalhando as tentativas de controle da pandemia.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.