Notícias

Ministério da Saúde transfere pacientes de Rondônia e disponibiliza médicos para combate à Covid-19

Reuters
Reuters
Ministério da Saúde transfere pacientes de Rondônia e disponibiliza médicos para combate à Covid-19
Pandemia de Covid-19 no Brasil

28 de janeiro de 2021 - 17:48 - Atualizado em 29 de janeiro de 2021 - 16:22

BRASÍLIA (Reuters) – O Ministério da Saúde informou nesta quinta-feira que segue ampliando as ações para auxiliar Rondônia no enfrentamento à Covid-19, mais um Estado do Norte que tem passado por dificuldades no seu serviço público de saúde.

Em comunicado, a pasta disse que, entre segunda e quarta-feira, 22 pacientes foram transferidos para outros Estados –13 para Curitiba e 9 para Porto Alegre, em ações que contaram com apoio da Força Aérea Brasileira (FAB).

“Recebemos nesta madrugada nove pacientes de Covid-19, vindos de Porto Velho, Rondônia. Com idades entre 49 e 71 anos, eles desembarcaram no Aeroporto Salgado Filho e foram encaminhados a dois hospitais de Porto Alegre”, disse o governador gaúcho, Eduardo Leite (PSDB), em uma rede social na quarta-feira.

Houve também a disponibilização de desde a segunda-feira de 66 médicos (42 intensivistas e 24 clínicos gerais) a Rondônia, além de envio de equipamentos e insumos. Além disso, a Força Nacional do SUS está atuando no Estado para diagnóstico da rede hospitalar do Sistema Único de Saúde (SUS), com o objetivo de desafogar a saúde pública local, segundo a pasta.

“O Ministério da Saúde continua monitorando o cenário epidemiológico de Rondônia e, conforme a necessidade, novas ações podem ser executadas pelo governo federal para dar suporte ao Estado e aos municípios no combate à pandemia, ampliando, assim, o cuidado aos pacientes e salvando vidas”, disse a pasta.

Estados do Norte –região mais distante e de difícil acesso em relação ao centro do país– têm enfrentado recentemente dificuldades no enfrentamento à Covid-19.

Manaus, por exemplo, passou por um colapso que levou o próprio ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, a despachar de lá. Pazuello é alvo de um inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF) que apura se a pasta foi omissa nas ações em relação à pandemia na capital do Amazonas.

(Reportagem de Ricardo Brito)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH0R1Q5-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.