Brasil

Mineradora Vale doa 5 milhões de kits de testes rápidos para coronavírus ao Brasil

Lucas
Lucas Sarzi Com informações do Estadão Conteúdo
Mineradora Vale doa 5 milhões de kits de testes rápidos para coronavírus ao Brasil
Foto: Arquivo/Reprodução.

23 de março de 2020 - 00:00 - Atualizado em 23 de março de 2020 - 00:00

A mineradora multinacional brasileira Vale anunciou, na noite deste domingo (22), que comprou 5 milhões de kits de testes rápidos para o novo coronavírus. A ideia da empresa é ajudar o Governo Federal no combate à disseminação da pandemia no país. O secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Wanderson Oliveira, disse que já tem destinação certa para os kits.

Os testes comprados pela Vale permitem um resultado em apenas 15 minutos e foram comprados da China. A estimativa é de que a primeira remessa, de 1 milhão de kits, seja entregue pelo fornecedor à Vale na próxima sexta-feira (27), chegando no Brasil no início da semana seguinte.

LEIA MAIS: Saúde, segurança, imprensa; confira a lista de serviços que não podem parar de acordo com decreto de Bolsonaro

Os outros 4 milhões de kits têm entrega prevista pelo fornecedor chinês até meados de abril. A quantidade adquirida pela Vale representa metade das unidades que o Ministério da Saúde avalia necessitar neste momento.

Testagem nos profissionais de saúde

Segundo Wanderson Oliveira, a ideia é aplicar o teste primeiro nos profissionais de saúde que apresentarem algum sintoma, como mal estar, febre e dor de garganta. “É um teste de uma empresa chinesa, com sensibilidade de 86,4%. Ainda não conhecemos o padrão desse teste no território brasileiro, e primeiro vamos fazer a validação com os profissionais de saúde”, disse.

Caso o teste dê positivo nos profissionais, eles já ficarão em resguardo. “Se o teste der positivo, os profissionais ficarão de quarentena, se der negativo ele volta ao trabalho”, explicou. “Vamos fazer testes seriados até que prove que o profissional não tenha coronavírus”, completou.

LEIA TAMBÉM: Há pelo menos 6 mil brasileiros querendo voltar ao país; Itamaraty cria grupo de apoio

Wanderson destacou que o teste ainda não é validado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e por isso terá esse uso restrito nos primeiros 15 dias. “É um teste para vigilância epidemiológica“, definiu.

Com o aumento da demanda pelos testes, a ideia do governo é colocar as máquinas para realizarem a testagem de maneira automática, sem manipulação humana. “Pensando numa escala de 30 mil a 50 mil exames por dia, teremos que colocar essas máquinas alinhadas quando chegarmos no pico da pandemia”, concluiu.

VIU ESSA? Sem plano econômico, corretora prevê 40 milhões de brasileiros desempregados

Outras doações

A mineradora também anunciou que está comprando, de fornecedores chineses, equipamentos de proteção individual, como óculos, luvas e máscaras, para médicos e enfermeiros. O material também vai ser doado ao Governo Federal. A Vale e a China têm uma parceria de longo prazo, desenvolvida ao longo de mais de 40 anos.

“A Vale oferece essa ajuda à sociedade brasileira em um momento em que o país se une pela saúde e segurança das pessoas. Estamos lançando mão da nossa rede de logística na Ásia para trazer ao Brasil insumos que poderão fazer a diferença na vida das pessoas”, disse Eduardo Bartolomeo, diretor-presidente da Vale.