Coronavírus

Mesmo sem aulas, merenda vai ser entregue para famílias de alunos do Paraná

Lucas
Lucas Sarzi Com informações da Agência de Notícias do Paraná
Mesmo sem aulas, merenda vai ser entregue para famílias de alunos do Paraná
Merenda escolar será entregue quinzenalmente para famílias de alunos. Foto: Gilson Abreu/AEN.

22 de março de 2020 - 00:00 - Atualizado em 1 de julho de 2020 - 14:51

Mesmo com a suspensão das aulas por causa do novo coronavírus, os estudantes que estiverem matriculados, beneficiários do Programa Bolsa Família e em situação de vulnerabilidade social vão continuar recebendo a merenda escolar a cada quinze dias. A previsão é de que o início deste abastecimento seja na próxima quinta-feira (26).

A distribuição dos alimentos perecíveis e não perecíveis às escolas foi determinada por meio de um decreto, que foi assinado neste sábado (21). De acordo com o governo, a decisão busca garantir que os alunos e suas famílias tenham acesso facilitado aos alimentos durante o período de suspensão das atividades escolares decorrentes da pandemia.

Coronavírus: Paraná tem 54 confirmados e 1.354 casos em investigação

Os alunos, junto aos responsáveis, devem retirar os kits nas escolas em que estão matriculados. “Ao longo da semana todas as providências devem ser adotadas para que as famílias tenham acesso aos alimentos”, afirmou Carlos Massa Ratinho Junior.

Distribuição

A direção de cada escola é que vai definir o esquema para haver uma escala de trabalho de plantão para o recebimento e distribuição dos alimentos com a presença do diretor, diretor-auxiliar, agente educacional I e II. Os gestores escolares também vão poder contar com a ajuda de voluntários da comunidade escolar, desde que não sejam pessoas do grupo de risco do novo coronavírus, e com voluntários inscritos na Defesa Civil do Paraná – a lista dos voluntários será divulgada aos diretores escolares para que eles acionem em caso de necessidade.

Coronavírus: decreto lista atividades essenciais que podem seguir funcionando no Paraná

Para garantir a segurança dos servidores e da operação, a secretaria autorizou a compra de sacolas plásticas, luvas, máscaras e álcool gel com recursos do Fundo Rotativo. O dinheiro já foi repassado para as escolas.

No caso de escolas que não tiverem muitos alunos inscritos no Bolsa Família, as instituições vão poder ampliar a entrega para alunos em situação de vulnerabilidade social que não sejam contemplados pelo programa do governo federal. A direção da escola pode optar pelo remanejamento da merenda para outras escolas, contando para isso com o apoio logístico da Defesa Civil.

Importante manter!

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse que manter a merenda escolar mesmo sem aulas em meio à pandemia de novo coronavírus é importante, já que muitas crianças mais pobres dependem disso para se alimentar ao longo do dia.

“Isso é louvável, se o ministro Abraham (ministro da Educação, Abraham Weitraub) assim proceder”, afirmou. Mandetta disse que o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, prepara medidas para reforçar a alimentação das crianças mais pobres, com proteína, leite em pó e barras.