Notícias

Menina queimada pelo primo em fogão morre após um mês no hospital

O primo estava em surto psicótico e além de queimar Eloá Lucas, tentou esganá-la na sequência

Mirian
Mirian Villa
Menina queimada pelo primo em fogão morre após um mês no hospital
Eloá Lucas e o primo Alan Victor Lucas no aniversário de sete anos da menina (Foto: Reprodução/Facebook)

23 de setembro de 2019 - 00:00 - Atualizado em 23 de setembro de 2019 - 00:00

A menina Eloá Lucas, que foi queimada pelo primo em um fogão, morreu na madrugada desta segunda-feira (23), no Hospital Universitário de Londrina, no norte do Paraná. Alan Victor Lucas, de 23 anos, está preso e deve responder por homicídio.

Menina queimada morava com os primos

O crime aconteceu no dia 23 de agosto, no Jardim Leonor, na residência do suspeito de homicídio. Eloá Lucas, de sete anos, sofreu queimaduras gravíssimas de 2º e 3º graus e teve 72% do corpo queimado, além das vias áreas comprometidas.

“Foi uma queimadura bem extensa pegando desde o rosto até os membros superiores, toda a parte superior do corpo dela mesmo”, disse o médico que atendeu a ocorrência, do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU).

Após um mês internada, Eloá Lucas não resistiu aos ferimentos e morreu no início da madrugada deste segunda-feira, no HU de Londrina.

Ela estava muito queimada. Tinha tufo de cabelo dela no chão, a pele dela tava toda queimada, a blusa dela tava queimada”, disse uma vizinha.

O primo colocou fogo na criança dentro de casa (Foto: Reprodução/RICTV)

Primo diz não lembrar do crime

Na época do crime, a Polícia Militar (PM) afirmou que o envolvimento de Alan Victor Lucas foi apontado por testemunhas. Ao que tudo indica, o rapaz estava em surto psicótico e além de queimar Eloá Lucas, tentou esganá-la na sequência. Vizinhos que conversaram com a RIC Record TV não se conformam com a tragédia.

“Toda vida ele cuidou bem dela. O irmão dele ainda tava tentando segurar, conter ele. Eu nunca vi isso acontecer. Ele é um menino bom, nunca vi ele alterado desse jeito. A gente convive com ele desde pequeno.”

Segundo a Polícia Civil, a pequena Eloá morava no mesmo terreno onde o crime aconteceu com a mãe, uma tia e dois primos. Para à polícia, Alan Victor Lucas afirmou não lembrar das agressões. O jovem segue preso desde o dia 23 de agosto e deverá responder por homicídio.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.