Notícias

Menina autista é encontrada morta após sumir de festa da escola em São Paulo

Raíssa Eloá estava dependurada em uma árvore já sem vida; a criança autista foi localizada cerca de duas horas após desaparecer

Caroline
Caroline Berticelli / Editora
Menina autista é encontrada morta após sumir de festa da escola em São Paulo
Raíssa era autista e tinha muitas dificuldades para socialização (FOTO: REPRODUÇÃO/ RECORD TV)

30 de setembro de 2019 - 00:00 - Atualizado em 30 de setembro de 2019 - 00:00

Uma menina autista foi encontrada morta, pendurada em uma árvore, no Parque Anhanguera, em São Paulo, na tarde deste domingo (29). Raíssa Eloá Caparelli Dadona, de 9 anos, desapareceu, horas antes, da festa da escola em que estudava. 

Menina autista que foi morta sumiu do pula-pula

Raíssa estava com a mãe e com o irmão mais novo na festa do CEU (Centro Educacional Unificado) Anhanguera e brincava no pula-pula quando a mãe foi buscar pipoca para o filho. Ao voltar, minutos depois, ela não encontrou mais a criança.

Raíssa estava pendurada em uma árvore 

Funcionários e participantes da festa ajudaram a procurar por Raíssa na escola e proximidades. Cerca de duas horas depois do seu desaparecimento, a menina autista foi encontrada pendurada pelo pescoço em uma árvore na área restrita do Parque Anhanguera, a cerca de 2 Km da escola. 

A criança estava com manchas de sangue no rosto e lesões no ombro. Próximo de onde ela estava, os guardas viram marcas de sangue no chão, além de um par de chinelo, um saco plástico e uma capa de tecido TNT.

O caso é investigado pelo DHPP (Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa) da Polícia Civil.

Raíssa foi sepultada na tarde desta segunda-feira (30). 

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.