Brasil

Médico internado com coronavírus recebe alta da UTI em Curitiba

Lucas
Lucas Sarzi
Médico internado com coronavírus recebe alta da UTI em Curitiba
Foto: Reprodução/Whatsapp.

28 de abril de 2020 - 00:00 - Atualizado em 1 de julho de 2020 - 14:43

Os momentos em que as pessoas contaminadas pelo novo coronavírus conseguem se recuperar e sair da UTI continuam a emocionar. Na noite desta segunda-feira (27), dia em que a cidade continua em luto pela morte da técnica de enfermagem Valdirene, uma notícia para acalentar os corações: o médico Jamal Munir Bark, de 59 anos, recebeu alta da UTI do Hospital Marcelino Champagnat.

Cercado dos colegas profissionais da saúde, Jamal saiu com aplausos e ouviu do médico que sua recuperação tem sido boa. Internado desde o dia 19 de março, Jamal, que atua na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Boqueirão, foi o primeiro caso de profissional da saúde infectado pelo novo coronavírus em Curitiba.

Ele chegou a ficar em estado grave, mas agora sua recuperação tem avançado. Mesmo saindo da UTI, Jamal não deve ir embora do hospital por enquanto. O médico foi transferido para um quarto e deve ficar pelo menos mais alguns dias, para que depois continue a se recuperar em casa.

medico-jamal-alta-uti-coronavirus-curitiba 2

Foto: Reprodução/Whatsapp.

Médico fez pedido inusitado para a equipe que lhe tratava

Desde a semana passada, Jamal apresentava indícios de que estava cada vez melhor e chegou até mesmo a fazer um pedido inusitado para a equipe médica, como revelou a secretária municipal de saúde, Márcia Huçulak.

Ele quis coca-cola. Foi dado coca-cola. Está no direito, embora ele seja um diabético. Espero que tenham dado coca diet ou zero. Mas enfim, sentir um gostinho, é bom a gente retomar algumas coisas depois de um longo internamento”, disse a secretária.

Veja o vídeo da saída do médico com coronavírus da UTI em Curitiba:

Hospitalizado desde o dia 19 de março, depois que foi internado com quadro de insuficiência respiratória aguda, Jamal começou a melhorar na semana do dia 13 de abril. O médico, que também atua na unidade de saúde central de Rio Branco do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), foi também um dos primeiros casos graves de coronavírus na capital paranaense. Por ser mais velho, acabou também despertando ainda mais preocupação com seu estado.