Coronavírus

Médico agredido em UPA por paciente com suspeita de Covid-19 faz desabafo

O homem desferiu um soco no rosto do profissional de saúde e tentou cuspir na equipe porque não aceitava a transferência para um hospital

Caroline
Caroline Berticelli / Editora
Médico agredido em UPA por paciente com suspeita de Covid-19 faz desabafo
A agressão ocorreu na UPA do Sítio Cercado, em Curitiba. (Foto: Reprodução/Facebook Rafael Greca)

9 de abril de 2020 - 00:00 - Atualizado em 1 de julho de 2020 - 14:48

O médico Igor Kazuo que foi agredido por um paciente com suspeita de Covid-19 na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Sítio Cercado, em Curitiba, nesta quarta-feira (8), gravou um vídeo para explicar o que aconteceu. (Assista abaixo)

Na gravação – publicada na rede social do prefeito da capital, Rafael Greca – o médico fez um desabafo sobre a falta de respeito com os profissionais de saúde em um momento em que eles têm arriscados suas vidas para ajudar. 

“Quero deixar registrada a minha indignação. Nós estamos passando por um período bem difícil todos os médicos, enfermeiros, a equipe da UPA, assim como dos hospitais, estão trabalhando sob pressão, sob tensão, sob medo, afastados das nossas famílias. E aí, os pacientes agirem dessa maneira não tem cabimento”, disse Kazuo. 

Paciente agride médico em Curitiba

A agressão ocorreu quando o médico tentava conversar com o paciente de 40 anos que se negava a ser transferido para um hospital. Segundo o profissional, o homem estava internado na ala de emergência da UPA, destinada para pessoas com suspeita de Covid-19, e apresentava um quadro respiratório, com baixa oxigenação no sangue e falta de ar, entre outros sintomas. 

“Ele arrancou o acesso venoso, arrancou a máscara, e veio em direção a saída. Eu tentei segurá-lo, mas ele já partiu para cima de mim. Eu informei que ele precisava se acalmar, que ele precisava ficar na UPA porque isso teria implicações legais pra ele. Ele afirmou ‘quero ver quem vai me segurar’ e partiu para cima de mim”, explica Kazuo. 

medico-agredido-em-upa-paciente-curitiba

O rosto do médico ficou coberto de sangue após a agressão do paciente. (Foto: Reprodução/Facebook Simepar)

O homem desferiu um soco no rosto de Kazuo, deixando a face do médico coberta de sangue, tanto dele como do paciente. Durante a confusão, os guardas municipais que fazem a segurança na unidade de saúde e um equipe do Samu que estava no local correram para ajudar e conseguiram imobilizar o agressor. No entanto, fora de controle, ele ainda tentou cuspir em todos que estavam no local. 

“Nós conseguimos algemá-lo, mas nisso o paciente já havia espirrado sangue para todo lado. Ele me agrediu, arrancou a máscara, puxou a máscara dos técnicos de enfermagem, dos guardas municipais. Ele tentou cuspir. Ele ameaçou toda uma equipe sem se importar com nada e nem com ninguém”, conta o médico. 

Por fim, o paciente foi encaminhado ao hospital e um boletim de ocorrência foi registrado contra contra ele. 

“Eu já fiz os exames, não tive uma fratura mais séria [no rosto]. Estou com um pouco de dor só, mas os danos foram menores. O que me preocupa é se realmente for confirmado o caso de infecção pela Covid-19, ele pode ter contaminado a mim e todo o restante da equipe”, informa ainda Kazuo. 

Assista ao vídeo do médico: 

O que diz a Secretaria Municipal da Saúde (SMS)

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Curitiba  e a Fundação Estatal de Atenção à Saúde (Feas) repudiaram o ato de violência e negaram a falta de Equipamento de Proteção Individual (EPIs) na UPA

Ainda segundo a nota da secretaria, o paciente é um homem com histórico de transtorno mental