Notícias

Suspeitos confessam que decidiram matar motorista de aplicativo sem motivação

A vítima de 24 anos foi atingida por um disparo de arma de fogo e está em estado grave; o crime ocorreu no bairro Novo Mundo, em Curitiba

Caroline
Caroline Berticelli / Editora com reportagem de Tiago Silva da RIC Record TV, Curitiba
Suspeitos confessam que decidiram matar motorista de aplicativo sem motivação
Um dos suspeitos filmado pela câmera de segurança. (Foto: Reprodução)

15 de abril de 2020 - 00:00 - Atualizado em 1 de julho de 2020 - 14:47

Dois homens, de 20 e 32 anos, foram presos pela Polícia Civil aproximadamente 12 horas depois de tentarem matar o motorista de aplicativo Gabriel Padilha, de 24 anos, com um disparo de arma de fogo na cabeça. O crime aconteceu na madrugada de terça-feira (14), no bairro Novo Mundo, em Curitiba

De acordo com a polícia, o rastreador do carro da vítima ajudou os investigadores esclarecerem o que aconteceu. Isso porque ficou registrada uma parada em uma loja de conveniências e as câmeras de segurança do local filmaram o veículo de Gabriel e os possíveis autores da tentativa de homicídio.  

O delegado Tiago Nóbrega, da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), explica que os dois foram encontrados em casa, junto com a arma utilizada e com roupas sujas de sangue. À polícia, ambos confessaram o crime e declararam que decidiram matar a vítima, quando estavam chegando no ponto final, apenas pelo ato de matar.  

“Durante o percurso, eles pediram para passar em um posto para comprar gelo, pois eles iriam continuar a beber, quando estavam chegando na residência, sem motivo algum, um deles efetuou um disparo na cabeça da vítima. Não levaram nada, pura maldade, provavelmente, estavam sob o efeito de entorpecentes. […] Eles confessaram o crime, disseram que são usuários de cocaína e maconha, demonstraram frieza e não demonstraram arrependimento”, disse Nóbrega.

Ainda conforme o delegado, os dois suspeitos possuem inúmeras passagens pela polícia, entre elas pelos crimes de tráfico de drogas, roubo e porte de armas. 

Os dois foram autuados em flagrante por homicídio qualificado na forma tentada.

Gabriel foi socorrido e permanece internado em estado grave no Hospital Universitário Evangélico Mackenzie.