Notícias

Maria Paraguaia diz que adolescente é mãe de menino e sobrinha dela

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

30 de outubro de 2017 - 00:00 - Atualizado em 30 de outubro de 2017 - 00:00

Maria Paraguaia se diz inocente (Foto: Reprodução RICTV)

Suspeita de tráfico de crianças declarou que é inocente e que a menor não queria mais o garoto

Maria Conceição Queiroz, conhecida como Maria Paraguaia, disse que o menino de um ano, encontrado na casa dela em Cascavel, oeste do Paraná, é mesmo filho da adolescente de 17 anos, que também foi localizada na residência junto com uma menina de 9 anos. A mulher é suspeita de intermediar a adoção ilegal do menino de nacionalidade paraguaia.

Na tarde desta segunda-feira (30), Maria Paraguaia declarou que as duas menores, de 9 e 17 anos, encontradas em sua casa são suas sobrinhas. Ela afirmou também que a adolescente é mãe do bebê acolhido pelo Conselho Tutelar. A jovem de 17 anos havia negado qualquer parentesco com o garoto, mas não quis fazer exame de DNA.

Durante a transferência da carceragem da delegacia em Cascavel para a Cadeia Pública de Corbélia, Maria Paraguaia falou com jornalistas e disse ser inocente. Ela afirmou também que forjou a história do abandono do garoto em frente a sua casa porque a adolescente de 17 anos não queria mais ficar com o bebê.

O menino, de 1 ano e dois meses, foi resgatado pelo Conselho Tutelar na casa de Maria Paraguaia no dia 10 de outubro. Foi ela mesma quem acionou a polícia dizendo que o garoto havia sido abandonado na rua onde ela mora, no bairro Cascavel Velho. A Polícia acredita que ela teria forjado a história do abandono para esconder a tentativa de adoção ilegal, já que o casal que ficaria com a criança desistiu do processo por suspeitar de irregularidades.

Ela prestou depoimento e acabou presa suspeita de tráfico de crianças. No mesmo dia, a polícia encontrou a adolescente de 17 anos e uma menina de 9 na casa da suspeita. As duas são de origem paraguaia e a mais velha usava documentos brasileiros falsos.

O depoimento de Maria Paraguaia está sob sigilo e o advogado dela, Felipe Veloso, disse que não comentaria as declarações e que a cliente foi orientada a não conversar com a imprensa.

Saiba mais:

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.