Mundo Animal

Manter os cães e gatos vacinados evita que a raiva apareça com mais frequência

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

29 de maio de 2017 - 00:00 - Atualizado em 29 de maio de 2017 - 00:00

20170529_010543_-_antirabica_canal_de_estimacao_1.jpg

A raiva é uma zoonose grave que merece atenção. Infelizmente, antes de casos como os ocorridos em Curitiba, em que só neste ano já foram confirmados 17 casos em morcegos – mais do que o número de casos registrados em todo o ano de 2016, algumas pessoas questionavam a importância da vacinação já que a doença era dita erradicada no Brasil, por não ocorrer um caso humano há muitos anos. No entanto, é preciso entender que por não termos controle da doença em animais silvestres a raiva está mais próxima do que imaginamos. Por isso, manter os filhotes de cães e gatos devidamente vacinados evita que a raiva apareça com mais frequência e que casos humanos sejam diagnosticados.

De acordo com a veterinária Natália Muricy, em humanos, a raiva geralmente é transmitida por seus animais domésticos infectados. Portanto, é bom lembrar que, além de cães e gatos, animais do campo e fazenda, como bovinos, equinos e ovinos também devem ser vacinados para manter a segurança dos rebanhos e dos trabalhadores rurais, assegura.

Na entrevista exclusiva ao Canal de Estimação, a veterinária explica detalhadamente o que é a Raiva Animal, os cuidados a serem tomados, as medidas de prevenção e outras informações importantes para manter a doença longe. Acompanhe com atenção e boa leitura!

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.