Lucas
Lucas Sarzi

2 de junho de 2020 - 18:33

Atualizado em 1 de julho de 2020 - 14:41

Notícias

Ato convocado por Wanderlei Silva pede respeito à bandeira nacional em Curitiba

Ato convocado por Wanderlei Silva pede respeito à bandeira nacional em Curitiba
Foto: Eduardo Matysiak.

Ao contrário do que se viu nesta segunda-feira (1), quando uma manifestação acabou com quebradeira no Centro de Curitiba, uma nova manifestação foi mobilizada nesta terça-feira (2) e marcou pela tranquilidade. Essa segunda manifestação foi convocada pelo lutador Wanderlei Silva e mobilizou centenas de pessoas, entre elas vários outros lutadores.

O protesto desta terça-feira teve como principal objetivo se opor aos fatos registrados na noite anterior. Isso porque além de toda a quebradeira, que teve vidros do Fórum, agencias bancárias e estações-tubo depredados, os baderneiros também queimaram a bandeira do Brasil, que estava a meio-mastro em frente ao Palácio do Iguaçu.

Reunimos e mobilizamos integrantes de todas as academias e pessoas que, assim como eu, ficaram indignadas com o que aconteceu, de terem depredado a cidade. Hasteamos a bandeira reserva (simbolicamente). Ontem queimaram o símbolo do nosso país, mas hoje resolvemos ir e devolver esse símbolo“.

Wanderlei Silva, lutador.
Grupo reunido em frente ao Palácio do Iguaçu, em Curitiba, em manifestação pacifica. Foto: Eduardo Matysiak.

Protesto tranquilo e sem partido político, afirmam organizadores

O grupo se reuniu na Praça 19 de dezembro, conhecida como Praça do Homem Nu, e seguiu em passeata até o Palácio do Iguaçu, mesmo ponto onde, na segunda-feira, a bandeira foi queimada. Por lá, além de cantarem o hino nacional, também rezaram um pai nosso e pediram que o símbolo do país seja respeitado.

Segundo os organizadores, o evento foi sem nenhuma bandeira política. “Nosso símbolo maior foi profanado ontem, mas hoje os brasileiros de bem estiveram juntos para reerguer esse símbolo”, disse Wanderlei Silva.

Veja o vídeo da passeata rumo ao Palácio Iguaçu, que seguiu pacífica:

A manifestação, que foi mais um ato simbólico, não teve nenhum registro de violência ou confusão. Foram reunidas aproximadamente mil pessoas (ou mais) ao longo de todo o trajeto.

Não teve uma pedra, um grito, pois somos pessoas educadas e sabemos que todo poder emana do povo, por isso estamos aqui mostrando nosso poder”.

Wanderlei Silva, lutador.

Bandeira do Brasil foi hasteada novamente em frente ao Palácio Iguaçu

Por determinação do governador Carlos Massa Ratinho Junior, a bandeira do Brasil, queimada durante a baderna no Centro Cívico, foi recolocada em frente ao Palácio Iguaçu por volta das 16h30 desta terça-feira. As bandeiras foram deixadas a meio mastro em sinal de luto oficial pelo falecimento de três servidores do Estado, que atuavam na Casa Civil.

Atos e manifestações ordeiras e pacíficas receberão suporte operacional da nossa Polícia Militar. Porém, vandalismo é crime e caso de polícia. Aqueles que porventura pensam em se aproveitar da situação para promover baderna, serão punidos pela força policial”.

Ratinho Junior, governador do Paraná.

O espaço do Pavilhão Nacional, como é chamado o local em ficam os mastros com as bandeiras do Brasil e do Paraná, precisou ser higienizado por conta de pichações. Além disso, o mecanismo que conduz o hasteamento teve que ser consertado, já que havia sido danificado pelos vândalos.