Segurança

Mais de 1,7 milhão de ucranianos fugiram, diz ONU sobre onda de refugiados

De acordo com autoridades, a União Europeia pode receber até 5 milhões de refugiados ucranianos se o ataque da Rússia à Ucrânia continuar

Reuters
Reuters
Mais de 1,7 milhão de ucranianos fugiram, diz ONU sobre onda de refugiados
FILE PHOTO: A child eats a cookie as she stands in a temporary accommodation for refugees at the train station, after fleeing Russian invasion of Ukraine, in Przemysl

7 de março de 2022 - 12:14 - Atualizado em 22 de março de 2022 - 15:42

PRZEMYSL, Polônia/SIRET, Romênia (Reuters) – Mais de 1,7 milhão de ucranianos fugindo da invasão da Rússia cruzaram até agora para a Europa Central, disse a agência de refugiados da Organização das Nações Unidas (ONU) nesta segunda-feira (7), enquanto outros milhares cruzavam as fronteiras.

A Polônia – que tem a maior comunidade ucraniana da Europa Central – recebeu mais de 1 milhão de refugiados ucranianos desde o início do conflito em 24 de fevereiro, com o marco ultrapassado no domingo (6).

“Hoje, às 20h, o número de pessoas que escaparam da Ucrânia para a Polônia ultrapassou um milhão. Este é um milhão de tragédias humanas, um milhão de pessoas expulsas de suas casas pela guerra”, tuitou o serviço de guarda de fronteira polonês na noite de domingo.

Um total de 1.735.068 civis – a maioria mulheres e crianças, já que os homens ficaram no país para lutar – cruzaram a fronteira para a Europa Central, disse o Acnur. A União Europeia pode receber até 5 milhões de refugiados ucranianos se o ataque da Rússia à Ucrânia continuar, disse o principal diplomata da UE, Josep Borrell. A Rússia chama suas ações na Ucrânia de “operação especial”.

ALIMENTOS E FRALDAS

Os europeus da região central, cujas lembranças do domínio de Moscou após a Segunda Guerra Mundial são profundas, continuavam a mostrar apoio a seus vizinhos do leste.

Em Przemysl, a maior cidade polonesa mais próxima da fronteira mais movimentada com a Ucrânia, uma instituição de caridade para crianças estava preparando uma arena esportiva escolar transformada para receber cerca de 150 crianças ucranianas retiradas de orfanatos na região de Kiev.

“Temos comida para eles, haverá crianças muito pequenas, então teremos que trocar fraldas, etc”, disse à Reuters Przemek Macholak, vice-chefe de resposta a crises da Happy Kids, uma organização não governamental polonesa.

O governo polonês planeja criar um fundo de US$ 1,75 bilhão para ajudar os refugiados da Ucrânia, disse uma autoridade do governo nesta segunda-feira.

Na Romênia, na fronteira de Siret com a Ucrânia, voluntários em jaquetas refletoras recebiam mães ucranianas carregando mochilas, empurrando carrinhos de bebê ou segurando bebês enquanto saíam da travessia, com o vento soprando e a neve caindo.

Os tchecos, por sua vez, já doaram US$ 62,8 milhões para ajudar a Ucrânia, a maior quantia já coletada para ajuda humanitária no país, informou a TV tcheca.

| Por Alan Charlish e Branco Filopovic (Reportagem adicional de Pawel Florkiewicz em Varsóvia, Luiza Ilie em Bucareste e Robert Muller em Praga)