Notícias

Madrasta de Isabella Nardoni quer passar para regime semiaberto

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

25 de abril de 2017 - 00:00 - Atualizado em 25 de abril de 2017 - 00:00

Isabella Nardoni morreu em 2008 (Foto: Arquivo Pessoal)

Defesa de Anna Jatobá diz que ela já cumpriu 2/5 da pena; Justiça não tem prazo para julgar o pedido

A madrasta da pequena Isabella Nardoni, morta em 2008, pediu a Justiça para cumprir o restante da pena em regime semiaberto. Presa há nove anos na penitenciária Santa Maria Eufrásia Pelletier em Tremembé (SP), Ana Carolina Jatobá, foi condenada a 26 anos e oito meses de prisão.

Isabella foi jogada da janela no sexto andar do prédio onde Ana Carolina morava com o pai da menina, Alexandre Nardoni, em São Paulo. Alexandre, foi condenado a 31 anos, 1 mês e 10 dias de prisão.

Os advogados de defesa de Anna Jatobá argumentam que ela tem direito à progressão da pena desde o dia 18 de abril, uma vez que já teria cumprido 2/5 da pena em regime fechado, que seriam 10 anos e 7 meses.

A madrasta está presa desde 3 abril de 2008, o que soma nove anos e 22 dias. Porém, a defesa alega que, por trabalhar como costureira no presídio, ela conseguiu reduzir 660 dias da pena e alcançar o direito à progressão.

O Ministério Público concluiu que Anna Jatobá enforcou Isabella e Alexandre jogou o corpo da criança pela janela. Antes disso o casal teria cortado uma tela de proteção do apartamento. Anna e Alexandre sempre negaram o crime e afirmam que uma terceira pessoa entrou na residência na noite da morte.

Saiba mais: Madrasta obrigava criança a se relacionar com homem de 29 anos