Notícias

Macron diz que França vai fortalecer legislação sobre incesto

Reuters
Reuters

23 de janeiro de 2021 - 15:36 - Atualizado em 23 de janeiro de 2021 - 15:36

PARIS (Reuters) – A França vai endurecer suas leis contra o incesto, disse o presidente Emmanuel Macron em uma série de tuítes neste sábado, depois que a publicação de um livro acusando um importante comentarista político francês de abusar de seu enteado gerou indignação em todo o país. 

Macron afirmou em sua conta no Twitter que a França precisa adaptar suas leis para melhor proteger as crianças da violência sexual e pediu ao ministro da Justiça para liderar uma consulta com o objetivo de fazer propostas legislativas rapidamente. 

“Iremos atrás dos agressores”, disse Macron. 

Macron disse que a França já aumentou o estatuto de limitações sobre o incesto para 30 anos, contados a partir da maioridade legal da vítima, e reforçou o controle sobre as pessoas que trabalham com crianças, mas disse que muito mais precisa ser feito. 

Segundo o presidente, como parte dos exames médicos de rotina para crianças, a França vai introduzir sessões sobre incesto nas escolas primárias e secundárias, a fim de dar às crianças a oportunidade de falar sobre o assunto. 

Nas últimas semanas, centenas de pessoas foram às redes sociais para contar suas histórias de incesto após a publicação do livro acusando o professor francês e especialista constitucional Olivier Duhamel de abusar de seu enteado. 

(Reportagem de Geert De Clercq e John Irish) 

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.