Notícias

Macaco bugio não será mais retirado de condomínio em Araucária

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

19 de novembro de 2018 - 00:00 - Atualizado em 19 de novembro de 2018 - 00:00

Macaco bugio ronda condomínio em Araucária (Foto: Ed Dimas da Cunha/Arquivo Pessoal)

De acordo com síndico do condomínio, que conversou por telefone com a Prefeitura de Araucária, o Instituto Ambiental do Paraná não vai mais receber o animal

Um macaco da espécie bugio, que atacou uma criança no dia 13 de novembro, não será mais removido do condomínio pelas autoridades responsáveis.  A retirada, que estava prevista para esta segunda-feira (19), seria feita pela Prefeitura de Araucária com o apoio da Força Verde, que juntos fariam a tentativa de capturar o animal da propriedade.

De acordo com Ed Dimas da Cunha, a Força Verde esteve no local na manhã desta segunda-feira, mas não foi possível fazer a captura do bugio, pois o animal não apareceu no local. “Os órgãos relataram que conseguiram um tranquilizante com o Zoológico de Curitiba, e que a ideia é tentar capturar o macaco, levá-lo até o IAP, e deixá-lo em quarentena para depois o Instituto Ambiental conduzir o animal para outro lugar”.

Bugio não será retirado

Nesta tarde (19), o síndico do condomínio, Ed Dimas da Cunha, conversou por telefone com a Prefeitura de Araucária explicou que foi determinado que a Força Verde não faça a captura do animal, pois o Instituto Ambiental do Paraná (IAP) não vai receber o animal, e não autoriza a Prefeitura de Araucária a mexer no macaco bugio.

Além disso, durante a conversa, a prefeitura afirmou que não é para alimentar o bugio, e que o condomínio pode, a partir disso, tomar medidas para aumentar a segurança da propriedade.

Para Dimas, o sentimento neste momento é de revolta, incapacidade e injustiça. “Pra que servem os órgãos públicos? Apenas pra multar e defender animais e não as pessoas? Não vão retirar os animais e nem deixar ninguém retirar, como vamos conviver com isso? O próprio secretário falou que não há possibilidade de retirada das árvores, então não temos o que fazer, mesmo com cerca de 30 metros ele continuaria passando”, desabafa o síndico.

Nota oficial

A Prefeitura Municipal de Araucária informa que não tem atribuição legal para retirar animais de vida livre, e apesar disso fez o possível para que a remoção segura do animal fosse realizada, articulando com a Prefeitura de Curitiba e a Força Verde. Equipes da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e do batalhão da Força Verde estavam se dirigindo ao local preparados e dispostos a realizar a captura e encaminhamento do animal. Entretanto, o Instituto Ambiental do Paraná não autorizou a ação.

O IAP é o órgão responsável pela remoção de animais silvestres de vida livre, conforme dito no site da Instituição”Desde então, o IAP passou a ser o órgão estadual responsável pela gestão e o controle das atividades de uso e manejo de fauna silvestre em cativeiro, bem como daquelas que envolvem apanha e captura de animais silvestres em vida livre.” 

Segundo representante do IAP, a autorização não seria dada pois o bugio não deve ser retirado do bando ou aprisionado, animais de vida livre são de responsabilidade do IBAMA e que aquele local tornou-se habitat do bugio, já que foi alimentado pela população.

Porém segundo os levantamentos efetuados pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Araucária (SMMA) e relatos de moradores do condomínio, há apenas um animal frequentando o local há mais de quatro meses, o que indica que o bugio foi excluído de seu bando.

Caso a SMMA retire o bugio sem a autorização do IAP, a Prefeitura pode ser multada por crime ambiental. Segundo análise de técnicos responsáveis, é aconselhável a retirada do animal para prevenir que o risco de novos acidentes por mordedura e de crime ambiental contra o animal, aconteçam.

A Prefeitura Municipal de Araucária informa que comunicará o Ministério Público sobre o caso e se encontra disponível e preparada para a retirada, em conjunto a Força Verde e Prefeitura de Curitiba, caso obtenha a autorização do órgão competente.  

O Instituto Ambiental do Paraná (IAP) ainda não se pronunciou oficialmente. 

Relembre o que aconteceu

Na noite desta terça-feira (13), um macaco da espécie bugio entrou na casa de uma família próximo ao horário do jantar e atacou uma das filhas dos moradores, uma criança de um ano e dez meses.

caso aconteceu em um apartamento em Araucária, ao lado do cemitério do bairro Boqueirão, na região metropolitana de Curitiba.

Macaco está na região há quatro meses

De acordo com os pais da vítima, a criança estava na cadeirinha de alimentação quando o macaco entrou pela porta da sacada dentro do apartamento e jogou a cadeira com a bebê no chão.

A mãe, desesperada, pegou o macaco pela pelagem, e o jogou para fora da casa. No momento em que a mulher tentava tirar o animal da criança, ele acabou a mordendo no braço.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.