Notícias

Laudo técnico aponta “mau uso” em celular que explodiu no bolso de adolescente

Empresa Motorola apresentou laudo técnico que comprova mau uso de cliente

Guilherme
Guilherme Becker / Editor
Laudo técnico aponta “mau uso” em celular que explodiu no bolso de adolescente
Celular explode no bolso de aluno (FOTO: COLABORAÇÃO)

12 de setembro de 2019 - 00:00 - Atualizado em 1 de julho de 2020 - 15:37

A empresa de telecomunicações Motorola apresentou um laudo técnico sobre o aparelho  Moto G7 Power que explodiu no bolso de um adolescente, em Curitiba, no mês de agosto. De acordo com o documento, a causa da explosão foi em virtude de mau uso por parte do consumidor, que teria tentado abrir a tampa traseira do celular com uma ferramenta pontiaguda e, assim, danificado a bateria.

No laudo, a empresa mostra a região do aparelho que foi danificada. Na época da explosão, o aparelho tinha cinco meses de uso e o acidente ocorreu enquanto o adolescente, de 14 anos, participava de uma aula de educação física.

Motorola apresenta laudo técnico

Cinco dias após a explosão do celular, a empresa Motorola entrou em contato com o Grupo RIC e informou que até a data não havia recebido o aparelho para perícia. Após a mãe do adolescente fornecer o celular, uma investigação técnica da empresa foi instaurada para revelar o motivo da explosão.

No dia 3 de setembro, a perícia técnica foi concluída e entregue a empresa. De acordo com as investigações, houve tentativa de retirada da tampa, não removível. localizada na parte traseira do smartphone. Ao utilizar algum tipo de ferramenta pontiaguda, a bateria foi danificada, causando a carbonização.

(FOTO: DIVULGAÇÃO/ MOTOROLA)

Segundo a empresa, o dano físico é visto claramente nas imagens do aparelho e no resultado do raio-x. Com isso, a Motorola informa que foi constatado mau uso por parte do consumidor e, consequentemente, a perda da garantia.

celular explode

(FOTO: DIVULGAÇÃO/ MOTOROLA)

A Motorola reforça que tem como sua principal prioridade a segurança dos seus consumidores e que todos os seus produtos são cuidadosamente projetados e fabricados com os mais altos padrões de excelência em qualidade, sendo submetidos aos testes rigorosos para oferecer ótimo desempenho para o consumidor. A companhia pede aos seus usuários que leiam e sigam os termos de uso contidos no manual do usuário e que eles apenas usem acessórios e equipamentos projetados, fabricados e/ou aprovados pela marca.

Celular explodiu no bolso do adolescente

A explosão ocorreu no dia 16 de agosto, aproximadamente às 10h, durante uma aula de educação física. Um jovem, de 14 anos, estava com o aparelho no bolso quando amigos informaram que estava saindo uma fumaça da região.

Rapidamente o garoto percebeu que o aparelho estava em chamas e retirou a calça. Na sequência o celular explodiu, porém, sem causar ferimento em nenhum aluno. Para conter as chamas foi utilizado um extintor. 

Na escola, a mãe do adolescente afirmou que pais e crianças ficaram apavorados com o incidente, que poderia ter causado um enorme estrago caso estivesse embaixo de um travesseiro, por exemplo. “Se fosse um idoso ou uma criança não teria tanta agilidade como ele teve. Deus foi misericordioso (…). Ele ficou muito assustado, foi dormir chorando”.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.