Notícias

Justiça concede novo Habeas Corpus a policiais militares de Londrina

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

20 de julho de 2017 - 00:00 - Atualizado em 20 de julho de 2017 - 00:00

A chacina ocorreu na madrugada do dia 29 para o dia 30 de janeiro;15 pessoas foram mortas. (Foto: Reprodução RICTV)

Acusados de uma chacina que ocorreu em janeiro de 2016, os oficiais estão presos desde o último dia 27 de junho

Quatro policiais militares de Londrina, presos desde o último 27 de junho, receberam novo Habeas Corpus concedido por unanimidade pela 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Paraná na tarde de hoje. Os policiais Jefferson José de Oliveira, Julio Cesar da Silva, João Paulo Roesner e Thiago Morales são acusados de participar de uma chacina ocorrida na cidade na madrugada de 30 de janeiro de 2016. Com isso, eles voltam a responder as acusações em liberdade.

A defesa dos policiais, promovida pelo advogado Claudio Dalledone Júnior, comentou a decisão. “É uma decisão acertada, correta e que respeita a lei e o direito dos policiais promoverem sua defesa em liberdade. Muita coisa precisa ser vista, há muito o que se apresentar ainda neste processo e tenho certeza que será provado que estes policiais são inocentes, são promotores da lei, da ordem e da segurança da população de Londrina”, comentou o advogado Claudio Dalledone Junior. 

Entenda o caso

Londrina registrou, na madrugada do dia 29 para 30 de janeiro, uma chacina violenta. Foram ao menos 10 pessoas mortas por disparos de armas de fogo. Uma das vítimas era um Policial Militar. Outras 17 pessoas também foram baleadas e internadas em hospitais da região. A Secretaria de Segurança Pública, desde o início das investigações, não descartou a participação de policiais nas chacinas.

Segundo informações, o soldado Cristiano Luiz Botino, de 33 anos, foi baleado dentro do próprio carro, quando retornava para casa, numa avenida do Conjunto Milton Gavetti, por dois homens em uma motocicleta.

Logo após a morte do PM, a cidade viveu uma série de atentados com um saldo de 15 pessoas mortas e diversos feridos . Em uma das chacinas, cinco jovens foram baleados dentro de uma mesma casa – três morreram na hora. Também foram registrados crimes em municípios da região metropolitana de Londrina. Os assassinatos ocorreram num intervalo de seis horas.