Notícias

Juninho volta para casa após transplante de intestino nos Estados Unidos

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

12 de maio de 2017 - 00:00 - Atualizado em 12 de maio de 2017 - 00:00

BG.jpg

Adolescente tinha uma síndrome grave e lutou meses contra o tempo e contra a burocracia do governo federal para continuar vivo

Antonio Gleiber Junior hoje tem 18 anos e está de volta ao Brasil depois de lutar pela própria vida durante três anos, dois deles no exterior. Juninho, como ficou conhecido, tinha 15 quando a sua família entrou em contato com o programa Balanço Geral Curitiba pedindo ajuda para o tratamento do garoto, que sofria de um problema grave no intestino.

Júninho e sua família desembarcaram no Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, na manhã desta sexta-feira (12). Apesar de continuar dependendo de medicamentos, o jovem está curado.

Trajetória de luta pela vida

Filho de pequenos agricultores e natural de Minas Gerais, o adolescente tinha um problema grave, conhecido como “Síndrome do Intestino Ultracurto”, e sua única chance de sobrevivência era um transplante de intestino, que só poderia ser realizado nos Estados Unidos.

Sem condições de pagar pelo procedimento, a família do garoto entrou na Justiça para que o governo federal assumisse os custos da cirurgia, dando início a uma batalha judicial que quase terminou com a morte do garoto.

Depois de oito meses de briga na Justiça e de internamento no Hospital Pequeno Príncipe, em Curitiba, Juninho finalmente conseguiu viajar para Miami em junho de 2015. O Balanço Geral contribuiu com essa vitória dando visibilidade ao caso, e várias pessoas se sensibilizaram e doaram dinheiro para ajudar a família. Até os clubes de futebol do Paraná, Coritiba e Atlético Paranaense, fizeram campanhas para ajudar o adolescente.

Nos Estados Unidos, Juninho primeiro foi submetido a um tratamento e só conseguiu um doador para o transplante em agosto de 2015. Depois disso, precisou de um período longo de acompanhamento médico para ter certeza de que o órgão transplantado não seria rejeitado pelo organismo.

Depois de tudo, a família ainda enfrentou a burocracia do governo brasileiro para conseguir quitar os custos de todo o tratamento no hospital norte-americano e ainda enfrentou dificuldades para que a família viajasse de volta ao Brasil.

Nesta sexta-feira, quase dois anos depois do embarque, Juninho voltou para casa com um belo presente na bagagem: uma vida inteira pela frente.

Caso Julinha

Julia tem dois anos e também nasceu com um grave problema no intestino, a mesma síndrome apresentada por Juninho. A menina tem apresentado uma melhora diária, mas ainda precisa passar por um transplante de intestino. Assim como a família de Juninho, os pais de Julinha também estão enfrentando uma verdadeira guerra judicial para garantir o tratamento da filha fora do país. O procedimento é feito nos Estados Unidos e o governo ainda não deu a liberação e nem o dinheiro para viagem. A alegação é que essa cirurgia pode ser feita no Brasil, em São Paulo, mas o fato é que o hospital paulista não tem nenhum caso de transplante de intestino de sucesso e nem a estrutura necessária para o procedimento. O caso de Julinha também está sendo acompanhado de perto pelo Balanço Geral Curitiba.

Assista à matéria do Balanço Geral sobre o caso de Juninho:

Veja também:

Pacientes entram na justiça para receber medicamentos

Saúde investiga três casos de reação adversa à vacina contra a gripe

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.