Notícias

Jovem de 25 anos sofre de condição rara que torna seu apetite insaciável

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

17 de abril de 2018 - 00:00 - Atualizado em 17 de abril de 2018 - 00:00

Hoje Alex registra no seu Facebook sua luta para emagrecer. (Foto: Alex Brown/ SWNS.com)

Alex Brown conta que quando criança seus pais costumavam trancar a geladeira, os armários e a despensa

A americana Alex Brown, de 25 anos, tem uma síndrome semelhante a Prader-Willi, um distúrbio genético incurável e raro que provoca excessos e muitas vezes leva à obesidade mórbida. Ela foi diagnosticada quando criança, aos três anos, e lembra que os pais costumavam trancar a geladeira e os armários para impedi-la de roubar comida em uma tentativa de combater suas constantes dores de fome.  

De acordo como o jornal The Mirror, quando adolescente, com mais liberdade, Alex dirigia para o McDonald’s e o Taco Bell e se deleitava com fast food. Isso fez com que rapidamente ela ganhasse peso, mas agora ela está em uma missão para perdê-lo – uma tarefa dificultada pelo fato de que a condição significa que ela tem um metabolismo mais lento e um apetite insaciável.

Contra todas as probabilidades, ela perdeu 20 quilos em dois anos, através de exercícios diários e restringindo sua dieta e está documentando sua jornada cansativa em sua página no Facebook.

Agora ela está falando em uma tentativa de aumentar a conscientização sobre a condição e ajudar os outros com PWS e condições semelhantes perceberem que podem seguir seus passos.

“Às vezes eu acordo às 5h30 e estou terrivelmente com fome”, conta Alex. (Image: Alex Brown / SWNS.com)

“Eu sinto como se não tivesse comido em dias – estou absolutamente faminta. “É difícil, mas se o que eu comer não fosse monitorado de perto eu iria ganhar peso terrivelmente rápido” desabafa. 

A jovem também lembra que quando ia festas de aniversário, sua mãe sempre conversava com ela antes, explicando que teria muito comida no local, mas que ela só poderia comer o que lhe fosse dado. Ela afirma que era um desafio ver todos comento muito mais do que ela ganhava de sua mãe.

Com Prader-Willi, você tem dores crônicas de fome que não podem ser saciadas. (Image: Alex Brown / SWNS.com)

“Meus amigos pediam para vir na minha casa e eu dizia não porque eu sabia que meus pais não estariam lá depois da escola. E eu não queria que eles vissem que todo o acesso à comida estava bloqueado”, conta.

“Quando eu estava no ensino médio, eu tinha um assistente que era minha sombra. Ela me seguiu durante os intervalos e o almoço e seu trabalho era garantir que eu não tivesse acesso a alimentos que não fossem fornecidos pelos meus pais.

A condição

A condição da qual Alex sofre é causada por um defeito em um gene paterno no cromossomo 15 que interrompe a função do hipotálamo, a parte do cérebro que controla a liberação de hormônios.

Nos EUA o defeito nesse gene afeta um em 15.000 bebês. E causa incapacidade cognitiva, problemas comportamentais e genitais subdesenvolvidos, bem como problemas de peso.

Nascida com baixo tônus muscular, Alex foi submetida à terapia fonoaudiológica quando jovem devido a comprometimento cognitivo e problemas de peso.

Dois anos atrás, ela viu um especialista que a aconselhou a emagrecer para evitar as complicações da obesidade que assola as pessoas com Prader-Willi e distúrbios semelhantes.

O médico recomendou a dieta do Vigilantes do Peso, que usa um sistema baseado em pontos para ajudar os seguidores a controlar sua ingestão de calorias.

A dieta deu a Alex controle sobre sua dieta e ajudou-a a resistir a compulsão a tal ponto que eles não precisam mais prender comida.

Normalmente ela come aveia no café da manhã, frutas e nozes para o almoço e salada ou frango para o jantar, com o deleite ocasional na forma de sorvete. (Image: Alex Brown / SWNS.com)

Alex, cujo atraso no aprendizado significou que ela levou cinco anos para obter seu diploma, também faz 45 minutos de atividade por dia, como Zumba.

“Eu sinto que estou fazendo o melhor com o que posso e não estou obtendo os resultados tão rapidamente quanto eu quero. Meu corpo é muito bom em ganhar peso e não é muito bom em perdê-lo. Às vezes não quer trabalhar comigo”, diz a jove

Leia também: