Segurança

Jovem afirma que foi humilhada, agredida e que teve apartamento invadido em abordagem da PM

A estudante relata que estava trabalhando em uma banca de doces quando foi surpreendida pelos agentes, que teriam dito que receberam denúncias de que ela estava traficando drogas

Daniela
Daniela Borsuk com informações de William Bittar, da RIC Record TV Curitiba
Jovem afirma que foi humilhada, agredida e que teve apartamento invadido em abordagem da PM
(Foto: RIC Record TV)

15 de setembro de 2021 - 13:57 - Atualizado em 15 de setembro de 2021 - 13:58

Uma jovem, de 17 anos, afirma que foi vítima de uma abordagem exagerada da Polícia Militar na última sexta-feira (10), no bairro Ganchinho, em Curitiba. A estudante relata que estava trabalhando em uma banca de doces quando foi surpreendida pelos agentes, que teriam dito que receberam denúncias de que ela estava traficando drogas na região. Apesar de nada ser encontrado durante a revista pessoal, os policiais teriam invadido o apartamento da jovem, a humilhado e agredido.

A jovem diz que estava estudando durante o trabalho quando os policiais chegaram e começaram a fazer perguntas.

“Ela [policial] estacionou a viatura, veio até aqui e, apontando a arma para a minha cabeça, falou que tinha várias denúncias, [perguntou] se eu conhecia aquele homem [outro rapaz que foi abordado momentos antes na região], eu falei que não. Ela falou que eu conhecia sim, que eu tinha que falar. Que nem ele [o rapaz abordado] disse, ele não fica muito para cá, então para ele também foi um susto, ele mora aqui, mas ele não convive para cá”.

explicou a jovem, que não será identificada.

Depois de falar com a jovem, os policiais teriam revistado toda a região, inclusive com a ajuda de cães farejadores, mas não encontraram entorpecentes. Na sequência, ela afirma que foi colocada dentro do camburão da PM.

“Eles deram um tapa no meu peito e falaram “entra dentro”. Deixaram eu e o menino dentro da viatura, o cachorro ‘tava’ lá, eu não sei porque o cachorro estava lá dentro se eles sabiam que não tinha droga, eles deviam ter levado o cachorro junto”.

disse a estudante.

Os policiais foram até o apartamento da jovem e continuaram a revista. “Simplesmente não falaram se podiam entrar, se tinha mandado, nada, só falaram com o porteiro e entraram”, contou a jovem. O imóvel foi vasculhado e revirado, e até mesmo alguns móveis ficaram quebrados. Durante toda a ação, a jovem foi mantida na viatura e liberada somente após todo o procedimento, depois de ser levada algumas quadras para longe da própria casa. Ela conta que o celular foi quebrado, sumiu dinheiro do apartamento e que não entende a violência da abordagem.

Uma investigação interna foi aberta pela Corregedoria da Polícia Militar para apurar os fatos depois que a adolescente fez uma denúncia. A RIC Record TV entrou em contato com a assessoria da PM e aguarda retorno.