Notícias

Japonês da Federal vai cumprir resto da pena de tornozeleira e solto

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

10 de junho de 2016 - 00:00 - Atualizado em 10 de junho de 2016 - 00:00

Foto de arquivo do policial federal Newton Ishii, o “Japonês da Federal”. Ishii foi preso nesta terça-feira, 7, em Curitiba (PR). (Foto: Geraldo Bubniak/Agb/Estadão Conteúdo)

Policial Federal Newton Ishii foi condenado a quatro anos de prisão por facilitar entrada de contrabando na fronteira de Foz do Iguaçu

O agente federal Newton Ishii, o ‘Japonês da Federal’, vai cumprir pena de tornozeleira eletrônica. Condenado a 4 anos e dois meses por facilitação de contrabando na fronteira de Foz do Iguaçu, ele deve colocar a tornozeleira ainda nesta sexta-feira, 10.

O ‘Japonês da Federal’ está preso desde terça-feira, 7, em Curitiba. Ishii foi condenado em 2009 pela Justiça Federal no Paraná por corrupção e descaminho, ao supostamente facilitar a entrada no Brasil de produtos contrabandeados do Paraguai.

A condenação foi mantida pelo Superior Tribunal de Justiça em março deste ano. A Corte determinou pena de quatro anos e dois meses de prisão. 

Como não existe casa de albergado no Estado do Paraná para o cumprimento de pena em regime semiaberto, o que é comum em caso de condenações de menos de seis anos, o juiz Matheus Gaspar, da Vara de Execuções Penais, determinou que o agente da PF fique custodiado no Centro de Operações Especiais (Cope).

Newton Ishii ficou conhecido como ‘Japonês da Federal’ ao escoltar presos e investigados da Operação Lava Jato. Atualmente no cargo de chefe substituto de Operações Especiais da Polícia Federal em Curitiba, ele fica lotado na sede da PF na capital paranaense e é responsável pela logística e escolta de presos. 

Ele estava trabalhando nesta terça, 7, quando foi notificado da decisão e se entregou espontaneamente.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.