Notícias

Irã testa mísseis balísticos e drones em exercícios militares, afirma TV estatal

Reuters
Reuters
Irã testa mísseis balísticos e drones em exercícios militares, afirma TV estatal
Militares do Irã lançam míssil em exercício militar no Golfo de Omã

15 de janeiro de 2021 - 13:17 - Atualizado em 15 de janeiro de 2021 - 13:20

DUBAI(Reuters) – A Guarda Revolucionária do Irã lançou diversos mísseis balísticos superfície-superfície e testou novos drones fabricados localmente em um exercício militar nesta sexta-feira, informou a televisão estatal.

O exercício, que foi supervisionado pelo comandante da Guarda, major general Hossein Salami, na região de deserto no centro do país, acontece em meio a dias de alta tensão com o governo do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e depois de testes de mísseis navais de curto alcance na quarta-feira e exercícios no início deste mês que apresentaram uma grande variedade de drones produzidos internamente.

“Os drones de bombardeiro atingiram o hipotético escudo de mísseis inimigo de todas as direções, destruindo completamente os alvos”, disse a transmissão da TV estatal sobre o exercício de sexta-feira.

“Além disso, um número abundante de uma nova geração de mísseis balísticos foi disparado contra alvos selecionados, infligindo golpes mortais às bases inimigas hipotéticas.”

O Irã, que rotineiramente se gaba de avanços tecnológicos em suas Forças Armadas, tem um dos maiores programas de mísseis do Oriente Médio, considerando-os uma força de dissuasão e retaliação contra os EUA e outros adversários em caso de guerra.

Desde 2018, quando Trump abandonou o acordo nuclear do Irã de 2015 com potências mundiais e restabeleceu sanções severas contra Teerã, houve confrontos periódicos entre os militares do Irã e as forças dos EUA no Golfo.

O presidente eleito dos EUA, Joe Biden, que assumirá o cargo em 20 de janeiro, disse que Washington voltará ao pacto “se o Irã retomar o cumprimento rígido” do acordo que impõe restrições às suas atividades nucleares em troca da suspensão de sanções.

(Reportagem da Redação de Dubai)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH0E14J-BASEIMAGE