Notícias

Irã nega participação em ataque a navio-tanque

Reuters
Reuters

7 de agosto de 2021 - 11:45 - Atualizado em 7 de agosto de 2021 - 11:45

DUBAI (Reuters) – O Irá classificou neste sábado de guerra psicológica as acusações que está por trás de um ataque a um navio-tanque na costa de Omã, e afirmou que Teerã busca melhorar a segurança nas águas do estratégico golfo.

Ministros das Relações Exteriores do grupo dos sete países mais ricos afirmaram na sexta-feira que o Irã estava ameaçando a paz e a segurança internacionais e que todas as evidências disponíveis mostram que o país estaria por trás do ataque ao navio-tanque Mercer Street na semana passada.

“Se fosse para confrotarmos inimigos…nós declararíamos isso abertamente, portanto a recente história dos inimigos é uma operação psicológica”, disse Abolfazl Shekarchi, porta-voz das forças armadas iranianas, segundo a mídia estatal.

A embarcação era um navio-tanque de bandeira da Libéria e de propriedade japonesa, gerenciado pelo israelense Zodiac Maritime.

O suposto ataque com um drone matou dois tripulantes, um britânico e um romeno.