Notícias

Investidores ficam no limbo após fim de prazo para pagamento da Evergrande

Reuters
Reuters
Investidores ficam no limbo após fim de prazo para pagamento da Evergrande
Prédio da China Evergrande em Pequim

24 de setembro de 2021 - 08:25 - Atualizado em 24 de setembro de 2021 - 08:30

Por Anshuman Daga e Andrew Galbraith e Tom Westbrook

CINGAPURA/XANGAI (Reuters) – A China Evergrande deixou investidores globais em dúvida sobre se irá realizar um importante pagamento de juros, ampliando os temores de que o governo chinês permitirá que detentores de títulos do exterior sofram grandes perdas, conforme se aprofundava, nesta sexta-feira, a crise de liquidez na empresa imobiliária mais endividada do mundo.

A Evergrande, que deve 305 bilhões de dólares, ficou sem dinheiro e os investidores estão preocupados que um colapso possa apresentar riscos sistêmicos ao sistema financeiro da China e reverberar em todo o mundo.

O prazo de quinta-feira para o pagamento de 83,5 milhões de dólares em juros de um título em dólar passou sem a Evergrande se pronunciar, e detentores de títulos não foram pagos nem ouviram nada da empresa, disseram à Reuters duas pessoas familizarizadas com a situação.

A empresa tem um período de carência de 30 dias e dará calote se esse prazo passar sem pagamento.

O silêncio da Evergrande agora contrasta com seu tratamento aos investidores domésticos. Nesta semana, a empresa resolveu o pagamento de cupom de um título doméstico.

“A visão de Pequim é que os detentores de títulos externos são amplamente instituições ocidentais e, portanto, podem receber tratamento diferente”, disse Karl Clowry, sócio da Addleshaw Goddard.

O banco central da China injetou de novo dinheiro no sistema bancário nesta sexta-feira, o que é considerado um sinal de suporte aos mercados. Mas as autoridades mantêm o silêncio sobre a situação da Evergrande e a mídia estatal da China não deu nenhum sinal sobre um eventual pacote de resgate.

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH8N0DY-BASEIMAGE