Internacionais

UE convoca enviado russo por proibição de entrada de autoridades do bloco

Reuters
Reuters
UE convoca enviado russo por proibição de entrada de autoridades do bloco
Bandeiras da UE em Bruxelas

3 de maio de 2021 - 14:40 - Atualizado em 3 de maio de 2021 - 14:40

BRUXELAS (Reuters) – A União Europeia convocou o embaixador da Rússia no bloco, nesta segunda-feira, para condenar a decisão de Moscou de impedir a entrada de oito autoridades da UE no país, que o Kremlin disse ter sido uma retaliação a sanções impostas a cidadãos russos pelo bloco.

O protesto é o mais recente acontecimento a aumentar as tensões diplomáticas entre as duas partes desde o início de 2021, quando a Rússia expulsou diplomatas europeus durante uma visita oficial do alto representante da UE.

A UE, por sua vez, irritou a Rússia ao exigir que o crítico do Kremlin Alexei Navalny fosse libertado da prisão, ao mesmo tempo em que colocava mais autoridades russas em uma lista de sanções por abusos de direitos humanos.

O embaixador da Rússia na UE, Vladimir Chizhov, foi convocado “para condenar a decisão das autoridades russas da última sexta-feira de proibir a entrada de oito cidadãos da União Europeia no território da Federação Russa”, disse a Comissão da UE em um comunicado.

“O embaixador Chizhov foi informado da forte rejeição e firme condenação por parte das instituições da UE e dos Estados-membros da UE a esta decisão, que foi puramente motivada por motivos políticos e carece de qualquer justificativa legal”, acrescentou o Executivo da UE.

No encontro com Chizhov, os representantes da UE também lembraram a expulsão da Rússia de diplomatas tchecos e a ordem executiva da Rússia dos chamados “Estados hostis”, de acordo com o comunicado.

Os representantes da UE expressaram “sua grande preocupação com o impacto cumulativo de todas essas decisões nas relações entre a UE” e a Rússia, e observaram que a UE se reserva o direito de tomar as medidas adequadas em resposta.

O Ministério das Relações Exteriores da Rússia disse na sexta-feira que entre os banidos estavam Vera Jourova, vice-presidente de Valores e Transparência do Executivo da UE; e o presidente do Parlamento Europeu, David Sassoli.

(Reportagem de Robin Emmott e Sabine Siebold)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH420US-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.