Internacionais

Trump e Biden vão promover fóruns simultâneos para eleitores em vez de debate

Reuters
Reuters
Trump e Biden vão promover fóruns simultâneos para eleitores em vez de debate
.

15 de outubro de 2020 - 18:42 - Atualizado em 15 de outubro de 2020 - 18:46

Por Trevor Hunnicutt e Joseph Ax

(Reuters) – O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e seu desafiante nas eleições, o democrata Joe Biden, irão promover fóruns populares em horário nobre nesta quinta-feira, ao invés de um segundo debate, que deveria ser realizado de maneira virtual, enquanto os primeiros eleitores continuam a lotar as zonas eleitorais do país.

Trump se recusou a participar do segundo debate quando a comissão encarregada de organizar o evento disse que ele seria realizado de maneira virtual após o presidente contrair o coronavírus. Um último debate está marcado para o dia 22 de outubro na cidade de Nashville, no Tennessee. 

Há menos de três semanas da eleição de 3 de novembro, o presidente republicano está buscando maneiras de alterar a dinâmica de uma disputa na qual Biden está com uma vantagem de dois dígitos em algumas pesquisas nacionais. 

Quase 18 milhões de norte-americanos já votaram até o momento, seja pessoalmente ou por correspondência, parcela que representa 12,9% do total dos votos contados nas eleições gerais de 2016, de acordo com o Projeto Eleitoral dos Estados Unidos, da Universidade da Flórida. 

Eleitores estão querendo evitar filas e aglomerações no dia da eleição para se protegerem enquanto infecções e hospitalizações pelo coronavírus continuam a aumentar, mas também estão preocupados com a possibilidade de que Trump possa desafiar na Justiça o uso amplo das cédulas enviadas por correspondências, depois que ele afirmou, sem apresentar evidências, que elas são fraudulentas. 

O Estado da Carolina do Norte, onde a disputa é altamente competitiva, começou um período de mais de duas semanas de votação presencial nesta quinta-feira. 

Vídeos de veículos de imprensa locais mostraram grandes números de pessoas esperando a abertura das zonas eleitorais nas cidades de Greensboro e Winston-Salem, e se reunindo horas antes de amanhecer para votar em duas arenas na maior cidade do Estado, Charlotte.

Gerry Cohen, um membro do conselho eleitoral no condado que inclui a maior parte da cidade de Raleigh, reportou que mais de 400 pessoas esperavam em fila em um centro comunitário antes das urnas abrirem.

“Eu nunca vi tanta gente enfileirada aqui”, disse ele pelo Twitter.

A campanha de Trump está contando com um impulso de votos de última hora. Mas uma pesquisa Reuters/Ipsos conduzida entre os dias 9 e 13 de outubro mostra que há bem menos eleitores indecisos neste ano –cerca de 8%– e a probabilidade deles escolherem Biden ou Trump, é a mesma. 

Quatro anos atrás, nessa fase da campanha, mais do que o dobro de pessoas estavam pendendo de maneira similar entre Trump e sua então adversária democrata Hillary Clinton. 

A pesquisa Reuters/Ipsos mostra que Biden mantém uma vantagem nacional de 10 pontos percentuais, com uma margem mais estreita em Estados vitais que irão ajudar a decidir a eleição. 

(Reportagem de Trevor Hunnicutt e Chris Kahn em Nova York, Doina Chiacu e James Oliphant em Washington, Jill Sergeant em Los Angeles)

tagreuters.com2020binary_LYNXMPEG9E1UQ-BASEIMAGE