Internacionais

Tribunal de apelações suspende divulgação de documentos de Trump em investigação da Câmara

Reuters
Reuters
Tribunal de apelações suspende divulgação de documentos de Trump em investigação da Câmara
Apoiadores de Trump atacam Capitólio em janeiro

11 de novembro de 2021 - 19:19 - Atualizado em 11 de novembro de 2021 - 19:20

Por Jan Wolfe

WASHINGTON (Reuters) – Um tribunal de apelações dos EUA suspendeu nesta quinta-feira uma decisão de uma corte de instância inferior que permitia que investigadores do Congresso obtivessem registros da Casa Branca do ex-presidente Donald Trump relacionados ao ataque de 6 de janeiro contra o Capitólio, enquanto a apelação está em andamento.

O Arquivo Nacional, agência federal que mantém os registros da Casa Branca de Trump, deveria entregar ao Congresso centenas de páginas de documentos na sexta-feira.

A decisão da juíza federal Tanya Chutkan na terça-feira permitiu que o comitê da Câmera que está investigando o ataque acessasse os registros telefônicos, o registro de visitantes e outros documentos da Casa Branca que Trump quer bloquear.

O ex-presidente republicano argumentou que os materiais requisitados pelo comitê estavam cobertos por uma doutrina legal conhecida como privilégio executivo, que protege a confidencialidade de algumas comunicações da Casa Branca.

Mas Chutkan rejeitou esse argumento, em uma vitória clara aos poderes de fiscalização do Congresso.

O comitê afirmou que precisa dos materiais para entender o papel que Trump possa ter tido em fomentar o ataque no qual seus apoiadores tentaram impedir que os parlamentares certificassem a vitória do presidente democrata Joe Biden nas eleições.

Quatro pessoas morreram em 6 de janeiro, uma atingida pela polícia e outras três de causas naturais. Mais de 100 policias ficaram feridos no ataque. Um membro da Polícia do Capitólio, que havia sido atacado pelos manifestantes, morreu no dia seguinte, e outros quatro policiais que defenderam o Capitólio posteriormente se suicidaram.

(Reportagem de Jan Wolfe, reportagem adicional de Susan Heavey)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEHAA1AW-BASEIMAGE