Internacionais

Talibã avança e diz controlar 85% do Afeganistão

Reuters
Reuters
Talibã avança e diz controlar 85% do Afeganistão
Membros do Talibã participam de entrevista coletiva em Moscou

9 de julho de 2021 - 09:28 - Atualizado em 9 de julho de 2021 - 09:31

CABUL/MOSCOU (Reuters) – Autoridades do Talibã afirmaram nesta sexta-feira que o grupo rebelde sunita assumiu controle de 85% do território do Afeganistão e que seus soldados estão consolidando sua presença em áreas estratégicas.

Autoridades do governo rechaçaram a afirmação de uma delegação do Talibã que visita Moscou como parte de uma campanha de propaganda no momento em que forças estrangeiras, incluindo os Estados Unidos, se retiram do país após quase 20 anos de guerras.

Mas autoridades afegãs locais afirmaram que soldados do Talibã, encorajados pela retirada, haviam capturado um importante distrito na província de Herat, casa de dezenas de milhares de xiitas da etnia hazara.

Centenas de funcionários de segurança e refugiados do Afeganistão continuam fugindo pela fronteira para os vizinhos Irã e Tadjiquistão, o que deixa Moscou e outras capitais estrangeiras preocupadas que radicais islâmicos possam estar se infiltrando na Ásia Central.

Três autoridades do Talibã tentaram minimizar essas preocupações durante visita a Moscou.

“Tomaremos todas as medidas para que o Estado Islâmico não opere em território afegão… e nosso território nunca será usado contra nossos vizinhos”, disse uma autoridade do Talibã, Shahabuddin Delawar, em entrevista coletiva.

Ele disse que “você e toda a comunidade internacional provavelmente sabem que 85% do território do Afeganistão está sob o controle” do Talibã.

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, defendeu na quinta-feira a decisão de retirar o Exército norte-americano do Afeganistão, apesar de grandes partes do país terem sido tomadas pelo Talibã.

Ele disse que o povo afegão precisa decidir seu próprio futuro e que ele não enviaria mais uma geração de norte-americanos para a guerra que já dura duas décadas.

Biden estabeleceu 31 de agosto como meta para a retirada final das forças dos EUA, exceto 650 tropas que fornecerão segurança à embaixada do país em Cabul.

(Redação de Cabul e Moscou)

tagreuters.com2021binary_LYNXNPEH680O6-BASEIMAGE