Internacionais

Rússia faz reivindicações marítimas ilegais no Ártico, diz Blinken

Reuters
Reuters
Rússia faz reivindicações marítimas ilegais no Ártico, diz Blinken
Secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken

18 de maio de 2021 - 12:12 - Atualizado em 18 de maio de 2021 - 12:16

Por Nikolaj Skydsgaard e Humeyra Pamuk e Jacob Gronholt-Pedersen

REYKJAVIK (Reuters) – A Rússia faz reivindicações marítimas ilegais na região do Ártico, disse o secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, nesta terça-feira, reiterando apelos para se evitar a militarização regional.

Os Estados Unidos já acusaram a Rússia de exigir que embarcações estrangeiras peçam permissão para passar e requisitar que navegadores russos embarquem nos navios, ameaçando o uso da força contra as embarcações que se recusarem a obedecer.

“Vemos a Rússia fazer reivindicações marítimas ilegais, particularmente sua regulamentação de embarcações estrangeiras transitando pela rota do Mar do Norte, que não são condizentes com a lei internacional”, disse Blinken em uma entrevista coletiva com o ministro das Relações Exteriores da Islândia em Reykjavik.

A Rússia tem planos ambiciosos para construir portos ao longo da chamada rota do Mar do Norte, o que encurtaria a distância entre a China e a Europa, e vem reforçando sua presença militar ao longo de seu litoral ártico.

“Temos preocupações a respeito de algumas das atividades militares intensificadas no Ártico”, disse Blinken. Estas aumentam o risco de “acidentes e erros de cálculo”, acrescentou ele, e também “minaram o objetivo compartilhado de um futuro pacífico e sustentável para a região”.

Em tentativas de defender a liberdade de acesso e navegação na rota do Mar do Norte, a Marinha norte-americana realizou exercícios com aliados europeus duas vezes no ano passado no Mar de Barents, próximo da Rússia, pela primeira vez desde meados dos anos 1980.

tagreuters.com2021binary_LYNXNPEH4H0WW-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.