Internacionais

Primeira-dama do Haiti morre após atentado na casa oficial da presidência

Neste ano, os protestos pediam a renúncia de Moise, um empresário do setor da banana que chegou ao cargo sem experiência política

Daniela
Daniela Borsuk com informações do portal R7
Primeira-dama do Haiti morre após atentado na casa oficial da presidência
(Foto: Jeanty Junior Augustin/ Reuters)

7 de julho de 2021 - 11:05 - Atualizado em 7 de julho de 2021 - 11:05

A primeira-dama do Haiti, Martine Marie Etienne Joseph Moïse, morreu nesta quarta-feira (7), horas depois de ser baleada em um ataque a tiros dentro da residência oficial da presidência do país. O marido, o presidente Jovenel Moise, morreu durante a madrugada. 

Depois do atentado da noite, Martine foi levada a um hospital da capital, mas não resistiu aos ferimentos.

Segundo o primeiro-ministro do Haiti, Claude Joseph, o ataque foi feito por um grupo de indivíduos que ainda não foi identificado, mas alguns dos envolvidos estavam falando espanhol.

Joseph repudiou o “ato odioso, inumano e bárbaro” e pediu calma. “Todas as medidas para garantir a continuidade do Estado e proteger a Nação foram tomadas. A democracia e a República vão vencer”, afirmou.

O país passa por uma intensa crise política e econômica. Desde 2018, milhares de haitianos marcham pelas ruas do país e pedem melhores condições de vida. Os protestos começaram depois do aumento do preço da gasolina, em 2018, e causaram a renúncia do então primeiro-ministro, Jack Guy Lafontant.

Neste ano, os protestos pediam a renúncia de Moise, um empresário do setor da banana que chegou ao cargo sem experiência política.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.