Internacionais

Presidente do Quirguistão reforça posição no poder com nomeação de novo premiê

Reuters
Reuters

10 de outubro de 2020 - 14:17 - Atualizado em 10 de outubro de 2020 - 14:17

Por Olga Dzyubenko

BISHKEK (Reuters) – O presidente do Quirguistão, Sooronbai Jeenbekov, reforçou seu controle do poder neste sábado ao reorganizar autoridades de segurança e tendo seu principal oponente, o ex-presidente Almazbek Atambayev, detido de novo poucos dias depois de sair da prisão.

Os aliados do presidente no Parlamento elegeram um novo primeiro-ministro, em um passo para sair do que a aliada Rússia descreveu como um estado de caos político.

O Quirguistão, que hospeda uma base aérea militar russa e serve como um centro de comércio com a vizinha China, está enfrentando distúrbios desde 4 de outubro, data de uma eleição contestada que foi posteriormente anulada.

Os parlamentares votaram no único candidato a primeiro-ministro, Sadyr Zhaparov, de 51 anos, que alguns setores da oposição acusaram de ser aliado de Jeenbekov.

Na sexta-feira, Jeenbekov ordenou que as tropas restabelecessem a ordem em meio a episódios de violência, e postos de controle militares foram colocados durante a noite em torno da capital Bishkek.

Ele demitiu altos funcionários do conselho de segurança que apoiaram seus oponentes ou não intervieram quando a oposição disse na terça-feira que estava tomando o poder no país da Ásia Central.

Mais de 1.200 pessoas ficaram feridas e uma pessoa morreu em confrontos que eclodiram na segunda-feira após a eleição, na qual os partidos do establishment tiveram uma vitória esmagadora.

Com o prédio do Parlamento saqueado por manifestantes, os legisladores se reuniram no sábado na residência presidencial, nos arredores de Bishkek, para votar em Zhaparov, que anteriormente atuou como assessor de outro ex-presidente, Kurmanbek Bakiyev, sucedido por Atambayev em 2011.

Os partidários de Atambayev garantiram na terça-feira a sua libertação da prisão, onde cumpria uma longa pena por corrupção, e disseram que ele sobreviveu a uma tentativa de assassinato na sexta-feira.

O serviço de segurança estatal declarou que prendeu Atambayev novamente sob a acusação de incitar distúrbios. O ex-presidente é ex-patrono de Jeenbekov e agora seu arqui-inimigo.

A ex-república soviética, que tem uma população de apenas 6,5 milhões, também abriga uma grande operação de mineração de propriedade canadense.