Internacionais

Policiais de Paris permanecerão sob custódia por agressão a produtor musical negro

Reuters
Reuters

29 de novembro de 2020 - 14:30 - Atualizado em 29 de novembro de 2020 - 14:30

PARIS (Reuters) – Três policiais de Paris detidos por terem espancado um produtor musical negro durante uma prisão, há uma semana, permanecerão sob custódia por enquanto, afirmou o promotor Remy Heitz neste domingo.

Heitz disse em uma entrevista coletiva que autoridades judiciais pediram que ele assegurasse que os três não tivessem contato entre eles e que não pudessem exercer pressão sobre testemunhas.

O espancamento que durou minutos contra o produtor Michel Zecler foi gravada por câmeras de segurança e circularam nas redes sociais, motivando a revolta da imprensa nacional e estrangeira e protestos contra a violência policial no país entre sexta-feira e sábado.

O presidente Emmanuel Macron afirmou na sexta-feira que as imagens eram uma vergonha para a França.

O promotor Heitz disse que os policiais seriam acusados de violência intencional com armas, uso de linguagem racista, falsificação de registros policiais, violação de propriedade privada e dano intencional à propriedade privada.

Um quarto policial, que não está sendo acusado de participar da agressão, mas de atirar uma granada de gás lacrimogêneo ao estúdio musical de Zecler, será suspenso e colocado sob custódia judicial, disse Heitz.

(Reportagem de Geert De Clercq)

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.